PSI-20 inverte tendência negativa e segue no ‘verde’

Portugal está, neste meio da sessão, a contrariar a tendência europeia. As principais praças europeias estão a perder terreno, enquanto Portugal sobe.

A bolsa de Lisboa segue no meio sessão a valorizar ao contrário do que aconteceu no momento de abertura. Por outro lado, as congéneres europeias estão em queda.

Assim, o PSI-20 segue a somar 0,35% para 5.532,84 pontos. A Novabase contribui para a subida, crescendo 2,39% para 5,14 euros e a Jerónimo Martins cresce 2,27% para 20,30 euros. Por sua vez, a Ramada soma 1,70% para 7,18 euros e a EDP Renováveis valoriza 1,55% para 22,24 euros.

A desvalorizar está a Galp Energia, que cede 2,18% para 8,43 euros e o BCP perde 0,69% para 0,14 euros. Quem também está a depreciar é a NOS em 0,18% para 3,39 euros.

Quanto às congéneres europeias, o alemão DAX cai 0,18%, o francês CAC40 recua 0,07%, o espanhol IBEX 35 cede 0,55% e o britânico FTSE 100 perde 0,14%.

Sobre os mercados europeus o analista Ramiro Loureiro sublinha que “os mercados de ações europeus vão oscilando entre território de ganhos e perdas ligeiras. Os estudos que vão chegando da eficácia das vacinas contra a variante ómicron do coronavírus ainda são escassos e contraditórios e isso acaba por deixar os investidores mais cautelosos”.

No mercado petrolífero, o barril de Brent perde 0,79%, para 75,23 dólares, enquanto o WTI desvaloriza 0,69% para 71,86 dólares.

No mercado cambial, o euro perde 0,26% face ao dólar, para 71,86 dólares, e a libra esterlina recua 0,21% para 1,3181 dólares.

Recomendadas

Euribor caem a três e seis meses e sobem a 12 meses

As taxas Euribor desceram hoje a três e seis meses e subiram a 12 meses para novos máximos desde o início de 2009.

Bolsa de Lisboa segue em alta com energia a dar gás

As principais bolsas europeias abriram hoje em alta refletindo o ligeiro recuo na taxa de inflação preliminar da zona euro e uma possível desaceleração no aumento das taxas de juro nos EUA sinalizada pelo presidente da Fed. Mas, ao longo da manhã, a tendência deixou de ser tão definida, com Paris e Londres a entrarem em terreno negativo.

Reserva Federal volta a ‘dar a mão’ a Wall Street

Tal como sucedeu na semana passada, a Fed teve de insistir na diminuição do ritmo da subida das taxas de juro para alavancar um dia que acabou por ser positivo. O mercado está a precisar da atenção do banco central.
Comentários