PSI 20 segue ‘verde’ das praças europeias. Altri e F. Ramada lideram ganhos

O principal índice bolsista português soma 0,68%, para 4.810,50 pontos, ao início da tarde desta quarta-feira.

O principal índice bolsista português, PSI 20, soma 0,68%, para 4.810,50 pontos, ao início da tarde desta quarta-feira, em linha com as principais praças europeias, que negoceiam novamente no ‘verde’. No território nacional, a Altri e a F.Ramada comandam o mercado, acompanhados também pela Sonae Capital.

A Ramada Investimentos lidera a sessão com 3,29%, para 7,85 euros enquanto a Altric cresce 2,64%, para 5,84 euros.

Em destaque pela negativa, em contraciclo, estão os CTT a depreciar 1,20%, para 3,13 euros e a Corticeira Amorim, que cai 1,71%, para 9,18 euros.

As principais praças europeias seguem todas no ‘verde’, com “a possibilidade de a União Europeia e Itália chegarem a um acordo, em relação ao défice, parece estar cada vez mais perto”, segundo revela Carla Maia Santos, senior broker da XTB Market.

Na Alemanha, o DAX sobe 1,14%, no Reino Unido, o FTSE 100 cresce 1,26%, o francês CAC 40 valoriza 1,96%, o holandês AEX sobe 1,56%. Em Espanha, o IBEX35 cresce 1,05% e o italiano FTSE MIB valoriza 1,69%.

A cotação do barril de Brent avança 1,64%, para 61,19 dólares, enquanto a cotação do crude WTI sobe 1,84%, para 52,60 dólares por barril.

No mercado cambial o euro cresce 0,22%, para 1,13 dólares.bolsa

Recomendadas

Bolsa de Lisboa inicia sessão em terreno negativo em manhã positiva nas praças europeias

Na quarta-feira, o PSI fechou a descer 0,22%, para 5.852,78 pontos, em linha com o resto da Europa.

Wall Street fecha instável em face da provável recessão

A indefinição está a marcar a economia interna dos Estados Unidos. sabe-se que haverá uma recessão, mas os seus contornos em termos de profundidade e duração não são claros. E o mercado mobiliário parece não gostar disso.

Há quem queira fugir à regulação do mercado criptoativo, alerta responsável europeia

A regulação deverá chegar no espaço de um ano, diz a comissária europeia para os serviços financeiros. Mas há ‘players’ do mercado que escolhem deliberadamente jogar contra as regras, avisa. A abordagem deve ser “global”.
Comentários