PSI 20 arranca em queda pressionado pela Jerónimo Martins, energéticas e papeleiras

Na bolsa portuguesa, onze empresas cotadas arrancaram a cair, quatro a valorizar e três negoceiam sem variação.

O principal índice bolsista português (PSI 20) iniciou a sessão desta quinta-feira a perder 0,34%, para 5.201,24 pontos, contrariando as principais congéneres europeias. Na bolsa portuguesa, onze empresas cotadas arrancaram a cair, quatro a valorizar e três negoceiam sem variação.

Os títulos das papeleiras Altri (-0,34%), Navigator (-0,78%) e Semapa (-0,14%) e das energéticas EDP (-1,02%), EDP Renováveis (-1,18%) e Galp (-0,20%) e da Jerónimo Martins (-1,56%) penalizam o PSI 20.

Destaque para a EDP Renováveis, que na quarta-feira anunciou ter assegurado um contrato para a venda de geração eólica produzida pelo parque Xironomi na Grécia. Com este novo contrato, a empresa liderada por João Manso Neto reforça a sua presença no país helénico com uma capacidade de 120 MW previstos para entrar em operação entre 2020 e 2022.

Entre as principais praças europeias, os principais índices também seguem com ganhos moderados.

Recomendadas

Wall Street regressa aos ganhos a meio da semana

A Apple destacou-se esta quarta-feira por afundar mais de 4%, na sequência de a gigante liderada por Tim Cook ter posto na gaveta o seu plano para aumentar a produção dos seus novos iPhones, mas as ações acabaram por encerrar a sessão com uma perda de pouco mais de 1%.

BCP cai 5% e arrasta bolsa de Lisboa para terreno negativo numa Europa mista

“O índice nacional esteve pressionado pela queda de 5% do BCP, numa sessão onde o setor Bancário demonstrou a pior performance na Europa”, escreveu o analista do Millennium BCP, Ramiro Loureiro, na sua análise de fecho de mercados.

CMVM publica cinco decisões de contraordenação, incluindo a coima de 75 mil euros à Orey Antunes

Na base das decisões da CMVM estão três processos por violação de deveres de atuação dos auditores. O processo contra a Orey Antunes por não ter divulgado os documentos de prestação de contas anuais e um processo por violação de deveres dos intermediários financeiros.
Comentários