PSI cai para o ‘vermelho’ enquanto principais bolsas europeias valorizam

O preço do barril de petróleo está a valorizar, com o brent a subir 3,26% para os 97,76 dólares e o crude a ganhar 3,64% para os 91,38 dólares.

A Bolsa de Lisboa encontra-se a meio da sessão desta sexta-feira em terreno negativo, a desvalorizar 0,29% para 5.722,73 pontos, enquanto as principais bolsas europeias estão a valorizar.

O BCP lidera nas perdas, a desvalorizar 2,34%, com as suas ações a valerem 0,1501 euros, seguido da Greenvolt, que perde 1,79% para os 7,69 euros, enquanto a Altri desvaloriza 1,11% para os 5,76 euros.

A EDP também está a desvalorizar 0,85% para os 4,31 euros, enquanto a Jerónimo Martins está a perder 0,19% para os 20,66 euros.

A Semapa lidera nos ganhos, valorizando 2,18%, com as suas ações nos 13,10 euros, seguida dos CTT, que ganham 2% para os 3,06 euros, enquanto a Galp cresce 1,63% para os 10,90 euros.

Ao contrário da bolsa portuguesa, as principais bolsas europeias estão todas no ‘verde’, com o CAC 40 (França) a ganhar 2,32%, o DAX (Alemanha) a valorizar 1,82%, o FTSE 100 (Reino Unido) a crescer 1,52% e o IBEX 35 (Espanha) a ganhar 0,44%.

O analista de mercados do Millenium BCP, Ramiro Loureiro, destaca que as principais bolsas europeias ganham otimismo perante notícias de que a China poderá estar a planear a redução das medidas restritivas pandémicas.

“O ambiente favorece sectores como o de Recursos Naturais, que dispara mais de 5%, impulsionado pala subida dos preços do minério de ferro. Entre os principais índices, o alemão é dos que mais valoriza, puxado pelo sector Auto e ainda por subidas mais expressivas de cotadas como Adidas e Infineon, apesar da revelação de que as encomendas às fábricas em solo germânico contraíram 4% em termos sequenciais em setembro. O sector da Banca segue em destaque, impulsionado pela Soc.Gen., que dispara mais de 5% depois de apresentação de contas”, aponta.

Por cá, Ramiro Loureiro sublinha que o PSI segue em sentido contrário ao da Europa, castigado pelas correções do BCP e da Greenvolt. Já os CTT valorizam mais de 1,5% depois de apresentação de contas.

O analista refere ainda que daqui a pouco, às 12h30, os investidores estarão a olhar atentamente para o relatório de emprego nos EUA à procura de sinais de arrefecimento no mercado laboral que possam esfriar o ritmo de subida de juros pela Fed, um movimento que poderia conferir otimismo às bolsas.

O preço do barril de petróleo está a valorizar, com o brent a subir 3,26% para os 97,76 dólares e o crude a ganhar 3,64% para os 91,38 dólares.

No mercado cambial, o euro está a ter uma valorização de 0,48% face ao dólar, para os 0,9798 euros.

Recomendadas

PSI cresce 2,5% em novembro e reforça valorização anual para 5,3%

O ranking mensal de aumento das cotações corresponde à Galp (14,7%), à Semapa (11,3%), ao BCP (5,7%), à EDP Renováveis (3,5%), à Greenvolt (3,2%), à EDP (2,1%), aos CTT (1,8%), à Mota-Engil (1,5%), à Jerónimo Martins (1%) e à Navigator (0,2%). 

Maxyield lembra que método contabilístico da Galp diminuiu a subida dos lucros numa altura de “windfall taxes”

O Clube dos Pequenos Acionistas entende que “os próximos relatórios de Governo Societário da Galp poderão produzir indícios sobre as razões da renúncia do CEO Andy Brown e papel do acionista Estado através da Parpública que detém 7,5% do capital, face às considerações públicas daquele sobre o impacto da windfall na companhia e na evolução do sector no país”. 

Preço do Brent sobe 2,64% após medidas contra petróleo russo

O crude do mar do Norte, de referência na Europa, encerrou na sexta-feira com uma queda de 1,45%, mas hoje recuperou e às 12:00 (hora de Lisboa), negociava a 87,83 dólares, depois de a União Europeia (UE) ter aplicado um embargo a todas as importações de petróleo russo transportadas por navio.
Comentários