PSI fecha no ‘vermelho’ com CTT e Greenvolt a perderem mais de 5%

A Galp foi a única cotada a fechar no ‘verde’, valorizando 1,04%, com as suas ações a valerem 10,10 euros.

A Bolsa de Lisboa (PSI) fechou a sessão desta quinta-feira no ‘vermelho’, a desvalorizar 1,82%, nos 5.937,89 pontos, com os CTT e a Greenvolt a perderem mais de 5%.

Os CTT lideraram nas perdas e fecharam a desvalorizar 5,25%, com as suas ações a valerem 2,80 euros, seguidos da Greenvolt, que perdeu 5,19% para os 8,77 euros, enquanto a EDP Renováveis caiu 4,92% para os 23,02 euros.

A EDP também fechou a sessão a perder 2,70%, com as suas ações nos 4,82 euros, o BCP caiu 2,45% para os 0,1396 euros, e a Jerónimo Martins desvalorizou 0,28% para os 21,72 euros.

A Galp foi a única cotada a fechar no ‘verde’, valorizando 1,04%, com as suas ações a valerem 10,10 euros.

As principais bolsas europeias também fecharam em terreno negativo, com o CAC 40 (França) a perder 1,87%, o DAX (Alemanha) a cair 1,86%, o IBEX 35 (Espanha) a desvalorizar 1,27% e o FTSE 100 (Reino Unido) a perder 1,16%.

O analista de mercados do Millenium BCP, Ramiro Loureiro, destaca que as bolsas europeias encerraram em baixa e agravaram mesmo as quedas durante a tarde, perante o sentimento negativo que se vive também em Wall Street, em especial no índice Nasdaq 100.

“Ao discurso do presidente da Fed proferido ontem ao final da tarde, onde deu um sinal claro de que o Banco Central tudo fará para fazer recuar a inflação, mesmo que tal signifique a entrada da economia em recessão, juntaram-se hoje as decisões do BoE. O Banco da Inglaterra voltou a elevar a taxa de juro de referência para o Reino Unido em 50 pontos base, para os 2,25%, o segundo aumento consecutivo desta dimensão, na sua batalha para reduzir a inflação, sendo que três dos seus membros defendiam um aumento superior”, realça.

O analista aponta ainda que este combate agressivo à inflação está a castigar os ativos de risco e hoje as perdas acabaram por ser transversais a quase todos os sectores do Stoxx 600, com os Recursos Naturais e a Banca a escaparem, ao terminarem alterados.

O preço do barril de petróleo está a valorizar, com o brent a ganhar 0,72% para os 90,48 dólares e o crude a subir 0,75% para os 83,56 dólares.

No mercado cambial, o euro está a ter uma desvalorização de 0,07% face ao dólar, para os 0,9830 euros.

Recomendadas

Bolsa brasileira regista melhor dia desde 2020. Investidores miram privatizações de Bolsonaro

Várias empresas públicas registaram disparos na bolsa brasileira com investidores interessados nos processos de privatização se Jair Bolsonaro ficar no poder.

Bolsa de Lisboa sobe mais de 1% em manhã positiva na Europa. BCP negoceia acima dos 3%

No mercado energético, a Greenvolt ganha 1,18% para 8,54 euros, a EDP Renováveis sobe 0,69% para 21,90 euros, a EDP avança 0,11% para 4,56 euros e a Galp sobe 0,90% para 10,12 euros, depois de ontem a empresa ter anunciado que o CEO Andy Brown vai terminar o seu mandato em 31 de dezembro.

Topo da Agenda: o que não pode perder nos mercados e na economia esta terça-feira

O Governo discute hoje em Conselho de Ministros extraordinário a proposta de Orçamento do Estado para 2023, que deverá dar entrada no parlamento na próxima semana. No Luxemburgo, estão agendados discursos de Lagarde e Enria. Saiba o que esperar desta terça-feira.
Comentários