PSI lidera subidas na Europa com CTT e NOS a valorizarem à volta de 5%

“As bolsas europeias ganharam ânimo ao longo da sessão e acabaram por encerrar em alta, com o PSI em destaque, ao valorizar quase 2%. O índice de ações português foi impulsionado pelo disparo superior a 5% da NOS, perante perspetivas de que o mercado móvel nacional possa encolher de cinco para quatro players depois da Vodafone Portugal ter concordado em comprar a Nowo”, relata o analista do Millennium BCP, Ramiro Loureiro.

Dia de bonança com PSI na liderança ao subir 1,79% para 5.397,74 pontos. As ações que mais subiram foram as da NOS que avançaram +5,20% para 3,52 euros, seguindo-se os CTT (+4,98% para 2,85 euros). A EDP Renováveis ajudou à performance do índice ao subir +3,37% para 21,75 euros. Também a casa-mãe EDP cresceu +2,66% para 4,56 euros.

A Galp valorizou +2,10% para 10,03 euros, no dia em que anunciou a mudança de CEO no fim do ano.

Temos ainda a Mota-Engil a subir +2,11% para 1,064 euros. A Mota-Engil anunciou hoje que a participada Monta-Engil México, em consórcio com a CRRC, assinou um contrato para a realização de um projeto ferroviário no valor de 1,3 mil milhões de euros.

A Sonae valorizou +2,24% para 0,8430 euros; e a Navigator fechou a subir +2,18% para 3,56 euros. Destaque ainda para o BCP, que apesar de ter sido alvo de ciberataque, valorizou +1,15% para 0,1232 euros.

Pela negativa o destaque vai para a GreenVolt que caiu -1,86% para 8,44 euros. O outro título que fechou negativo foi o da Jerónimo Martins que desceu -1,00% para 18,86 euros.

“As bolsas europeias ganharam ânimo ao longo da sessão e acabaram por encerrar em alta, com o PSI em destaque, ao valorizar quase 2%. O índice de ações português foi impulsionado pelo disparo superior a 5% da NOS, perante perspetivas de que o mercado móvel nacional possa encolher de cinco para quatro players depois da Vodafone Portugal ter concordado em comprar a Nowo”, relata o analista do Millennium BCP; Ramiro Loureiro.

“Os ganhos expressivos dos CTT, EDP Renováveis, EDP, Sonae, Navigator, REN ou Galp também foram catalisadores”, destaca o analista da MTrader.

O EuroStoxx 50 avançou 0,72% para 3.342,2 pontos em tudo semelhante à subida do vasto Stoxx 600 (+0,71%). O FTSE 100 subiu 0,22% para 6.908,8 pontos; o CAC avançou 0,55% para 5.794,15 pontos; o DAX valorizou 0,79% para 12.209,5 pontos; o FTSE MIB disparou 1,57% para 20.972,6 pontos e o IBEX avançou 1,29% para 7.462 pontos.

O dia foi marcado pela performance negativa do Credit Suisse que fechou a cair 0,93%, depois de ter estado sob a pressão da especulação à volta dos receios de um possível colapso do banco, devido à subida dos CDS.

“A recuperação que se vive em Wall Street, após três semanas consecutivas de quedas, acabou por contagiar o velho continente”, acrescenta Ramiro Loureiro que realça que o “setor Energético refletiu a subida dos preços do petróleo nos mercados internacionais, com notícias de que a OPEP+ estará a considerar um corte de produção de cerca de 1 milhão de barris por dia”. O Brent disparou 3,45% para 88,08 dólares.

“É possível que a indicação de que a atividade industrial na zona euro e nos EUA esteve aquém do esperado em setembro tenha feito hoje os investidores terem alguma esperança de que desta forma os Bancos Centrais possam vir a ser num futuro próximo menos agressivos nos movimentos de subida de taxas de juro, uma evolução seguida de muito perto pelos investidores”, conclui o analista da MTrader.

O euro sobe 0,14% para 0,9816 dólares.

No mercado de dívida, os juros alemães a 10 anos recuam 19,24 pontos base para 1,91%. Os juros portugueses caem 21,07 pontos base para 2,96%. Também Espanha tem os juros em queda de 21,50 pontos base para uma yield de 3,07% e Itália vÊ os juros baixarem 27,42 pontso base para 4,24%. Grécia idem com juros a caírem, ainda que menos (-10,23 pontos base para 4,73%).

Recomendadas

Wall Street encerra sessão com índices a desvalorizar mais de 1%

No fim de sessão em Wall Street o Dow Jones perde 1,45% para 33.849,46 pontos, o S&P 500 cai 1,51% para 3.965,30 pontos e o tecnológico Nasdaq cede 1,58% para 11.049,50 pontos. 

PSI cai em linha com Europa. Greenvolt e BCP lideram perdas

Dos quinze títulos apenas três fecharam em alta em Lisboa. Lá fora, “o ambiente de contestação social que se vive na China, onde se intensificam os protestos contra a política de Covid zero, está a gerar desconforto aos investidores e que desta forma descontam o mesmo nas bolsas”, realça o analista da MTrader.

Lagarde avisa que taxas de juro vão continuar a subir

Dados da inflação na zona euro em novembro vão ser conhecidos esta semana. BCE reúne-se em meados de dezembro.
Comentários