PSI no ‘verde’ acompanha congéneres europeias a meio da sessão

Entre as principais praças europeias, Frankfurt lidera os ganhos com 1,41%,  Madrid sobe 1,07%, Paris valoriza 0,97% e Londres avança 0,64%.

A bolsa de Lisboa segue a meio da sessão desta terça-feira em terreno positivo com ganhos de 0,58% para 5.690,51 pontos, impulsionada pelo Banco Comercial Português (BCP) que sobe 4,77% (para 0,1472 euros) e em linha com as principais praças europeias. Destaque ainda para a EDP Renováveis, que valoriza 1,89% para 20,45 euros, Corticeira Amorim (+1,37% para 10,36 euros) e a NOS (+0,74% para 3,81 euros).

Em sentido inverso, a The Navigator é quem mais perde no conjunto do PSI (-1,68% para 3,87 euros), seguida dos CTT que caem 1,04% (para 3,79 euros) e a Greenvolt (-0,93% para 6,37 euros). A última cotada em terreno negativo é a EDP (-0,25% para 4,34 euros).

Entre as principais praças europeias, Frankfurt lidera os ganhos com 1,41%, Madrid sobe 1,07%, Paris valoriza 0,97% e Londres avança 0,64%.

“Os principais índices de ações europeus vivem uma sessão de recuperação, após quatro dias consecutivos de queda para a generalidade. O selloff de ontem trouxe um indicador técnico, o RSI, para níveis próximos da indicação de sobrevenda, que na prática representa uma pressão vendedora em demasia num determinado período de tempo. Por isso a valorização de hoje pode, pelo menos para já, ser considerada como uma reação técnica, até porque não anula sequer a queda da sessão anterior e os indicadores macroeconómicos mostram fraquezas”, comentam os analistas do Millennium.

“Apenas o sector energético fica para trás nesta recuperação, arrastado pela queda dos preços do petróleo”, acrescentam.

Recomendadas

Wall Street fecha em alta após Fed sinalizar continuidade da subida dos juros

As ações da Nvidia, fabricante de peças para computador, dispararam mais de 5%, a poucos minutos de publicar as contas trimestrais. Os analistas antecipam um lucro por ação de 1,3o dólares nos primeiros três meses do ano fiscal de 2023.

BdP comprou 20,3 mil milhões de euros de dívida portuguesa e financiou bancos em 41,8 mil milhões

O Relatório de Implementação da Política Monetária do banco central mostra que o seu balanço cresceu 14% no último ano, atingindo assim novos máximos históricos. Mesmo com o fim do programa de emergência pandémica, Portugal tem margem para aumentar o nível de compras líquidas, visto estar abaixo da sua chave de capital.

AllianzGI: Abrandamento mais significativo da economia pode travar ritmo de subida de juros

A Diretora Global de Investimento em ações da AllianzGI, Virginie Maisonneuve, alerta que o abrandamento da economia deverá ser mais significativo do que se espera. E isto poderá levar os bancos centrais a subirem menos as taxas de juro do que aquilo que os mercados antecipam.
Comentários