PSI segue sessão no ‘vermelho’. BCP, REN e EDP Renováveis caem mais de 2%

Lá fora, as principais praças europeias também negociaram no ‘vermelho’. O CAC 40 perde 0,12%, o DAX cai 0,15%, o IBEX 35 recua 0,70% e FTSE 100 desvaloriza 0,66%.

A bolsa de Lisboa segue a meio da sessão desta segunda-feira em terreno negativo ao cair 1,27% para os 5.417,30 pontos. O BCP é quem mais perde (-2,49% para 0,1332 euros), seguido da REN, que desvaloriza 2,02% para 2,425 euros, e a EDP Renováveis (-2,00% para 22,07  euros).

Também com quedas acentuadas segue a Greenvolt (-1,99% para 8,37 euros), penalizada depois do corte de preço alvo por parte de uma casa de investimento, mas também a Sonae (-1,88% para 0,8365 euros) e a EDP, que recua 1,78% para 4,64 euros. Jerónimo Martins cai 0,95% para 20,96 euros.

Apenas quatro cotadas se encontram em terreno positivo, lideradas pela The Navigator, que sobe 1,41% para 3,31 euros, seguida da Altri, que cresce 1,16% para 4,90 euros. Corticeira Amorim e Mota-Engil também no ‘verde’ mas a negociar com ganhos inferiores a 1%.

Os CTT mantêm-se nos 2,62 euros.

Lá fora, as principais praças europeias também negociaram no ‘vermelho’. O CAC 40 perde 0,12%, o DAX cai 0,15%, o IBEX 35 recua 0,70% e FTSE 100 desvaloriza 0,66%.

As bolsas europeias reagem, assim, às projeções divulgadas pela OCDE, “que cortou perspetivas de crescimento económico e aumentou as de inflação, referindo ainda um maior risco de recessão, com especial destaque para a Europa. A penalizar está também o indicador de confiança empresarial na Alemanha, que veio abaixo do esperado em setembro, com um aumento dos receios de recessão. No plano europeu, só o índice italiano foge às quedas, depois da vitória de Giorgia Meloni, da extrema-direita, para ocupar o cargo de primeiro-ministro em Itália, o que levou a uma subida das yields da dívida italiana”, refere o analista do Millenium Investment Banking Ramiro Loureiro.

Nos outros mercados, o preço do barril de petróleo sobe dos dois lados do Atlântico: em Nova Iorque, o WTI está a avançar 0,94% para os 83,72 dólares, mas o Brent avança 0,88% para os 90,62 dólares em Londres.

No mercado cambial, o euro valoriza 0,51% face ao dólar norte-americano para os 0,9639 dólares.

Recomendadas

Reserva Federal volta a ‘dar a mão’ a Wall Street

Tal como sucedeu na semana passada, a Fed teve de insistir na diminuição do ritmo da subida das taxas de juro para alavancar um dia que acabou por ser positivo. O mercado está a precisar da atenção do banco central.

Reserva Fedrela diz que aumento das taxas de juro pode desacelerar em dezembro

O presidente da Reserva-Feral norte-americana, Jerome Powell, considerou esta quarta-feira, ser provável que o aumento das taxas de juro possa desacelerar já em dezembro. Mas os valores vão permanecer altos.

Energia dá impulso à Bolsa de Lisboa. Europa fecha no verde em dia marcado pela inflação

O mercado esperava que a inflação do IPC na zona do euro desacelerasse de 10,6% em Outubro para 10,4% em Novembro (variação anual). A leitura real mostrou uma desaceleração para 10,0% num ano. Os juros soberanos sobem. As ações também.
Comentários