PSI sobe ajudado pela Galp e Jerónimo Martins. Alemanha impulsiona mercados

Nas principais praças o verde dominou os mercados de ações. O euro manteve-se acima de 1,04 dólares depois da melhoria da confiança das empresas na Alemanha em novembro. O índice de sentimento das empresas da Alemanha subiu de 84,3 em outubro para 86,3 em novembro, segundo uma nota divulgada pelo instituto alemão Ifo. Juros soberanos em forte queda.

O PSI voltou a fechar no verde, ao valorizar 0,16% para 5.880,12 pontos. A liderar os ganhos estiveram as ações da Galp (+1,40% para 11,56 euros) e da Jerónimo Martins (+1,05% para 21,24 euros). A EDP Renováveis também deu um empurrãozinho ao subir +0,97% para 22,92 euros. A EDP subiu +0,67% para 4,51 euros e o BCP avançou 0,20% para 0,1528 euros.

Em queda destacou-se a Altri, que fechou a cair -2,38% para 5,53 euros, no dia em que apresenta os resultados dos nove meses após o fecho do mercado. A Altri obteve nos primeiros nove meses deste ano um resultado líquido de 117,4 milhões de euros, o que traduz um aumento de 29,9% face aos 90,4 milhões registados no mesmo período do ano passado. No terceiro trimestre os lucros foram de 47,7 milhões de euros, um crescimento de apenas 3,8% que a empresa explica com “a evolução negativa dos hedges cambiais com o dólar, registados em resultados financeiros, e o aumento da taxa de imposto efetiva no trimestre”.

Também em terreno negativo fechou a Greenvolt ao recuar -1,47% para 8,06 euros. Ao todo 10 ações fecharam em queda na sessão. Foi também o caso da Semapa que deslizou -0,98% para 14,10 euros e dos CTT que perderam -0,93% para 3,19 euros.

Os sectores de Alimentação e Tecnologia contrariaram os ganhos europeus. A conclusão é do analista do BCP, Ramiro Loureiro.

“As bolsas europeias viveram uma sessão de ganhos, ainda que o facto de Wall Street estar encerrado devido a feriado nos EUA tenha retirado alguma liquidez, a avaliar pelo volume de transações inferior à média das últimas 20 sessões. Os ganhos foram transversais à maioria dos setores, à exceção do de Alimentação e do Tecnológico, que registaram queda ligeira. O índice DAX liderou os ganhos, no dia em que foi revelado que o clima empresarial na Alemanha melhorou mais que o esperado em novembro”, escreve o analista de mercados da MTrader.

O EuroStoxx 50 sobe 0,39% para 3.962 pontos e o Stoxx 0,46%.

Nas principais praças o verde dominou. O FTSE 100 avançou 0,02% para 7.466,6 pontos; o CAC 40 valorizou 0,42% para 6.707,32 pontos; o DAX cresceu 0,78% para 14.539,6 pontos; o FTSE MIB subiu 0,61% para 24.730,9 pontos e o IBEX avançou 0,68% para 8.388,1 pontos.

O euro manteve-se acima de 1,04 dólares depois da melhoria da confiança das empresas na Alemanha em novembro.

O índice de sentimento das empresas da Alemanha recuperou e subiu de 84,3 em outubro para 86,3 em novembro, segundo uma nota divulgada nesta quinta-feira pelo instituto alemão Ifo.

O petróleo Brent corrige -0,60% para 84,90 dólares o barril.

Na dívida pública a Alemanha regista uma redução dos juros soberanos a 10 anos de 7,93 pontos base para 1,85%; Portugal vê os juros caírem 10,32 pontos base para 2,72% e Espanha com juros em queda 9,88 pontos base para 2,79%. Itália tem os juros em queda de 13,59 pontos base para 3,66% e a Grécia também a beneficiar da queda dos juros de 11,16 pontos base para 4,06%.

Recomendadas

Bolsa de Lisboa fecha em queda arrastada pela EDP Renováveis numa Europa mista

O tombo da bolsa deve-se em grande parte à queda das ações da EDP Renováveis. As ações caíram -2,19% para 21,39 euros no dia em que foi noticiado que ganhou o leilão para contruir um parque eólico “offshore” de grande escala ao largo da Califórnia.

Wall Street abre a valorizar com S&P 500 a contrariar cinco dias de perdas

O índice industrial Dow Jones arrancou a sessão a escalar 235 pontos (+0,7%), impulsionado pelos ganhos da Chevron e da Boeing. Já o empresarial S&P 500 acompanhou a subida em 0,7%. Por sua vez, o tecnológico Nasdaq valorizava quase 1% (0,9%).

Taxas Euribor sobem a três e seis meses e caem a 12 meses

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno positivo em 06 de junho, subiu hoje, para 2,456%, mais 0,014 pontos, batendo um novo máximo.
Comentários