PSI20 valoriza 1,16% com BCP a subir mais de 4%

O principal índice da bolsa de Lisboa, o PSI20, segue hoje a valorizar-se 1,16%, mantendo a tendência da abertura, com as ações do BCP a subirem mais de 4%. Pelas 08h35 de hoje, o PSI20 estava a negociar nos 5.159,87 pontos, com 15 dos 18 títulos que o compõem a negociarem positivos, um inalterado e […]

O principal índice da bolsa de Lisboa, o PSI20, segue hoje a valorizar-se 1,16%, mantendo a tendência da abertura, com as ações do BCP a subirem mais de 4%.

Pelas 08h35 de hoje, o PSI20 estava a negociar nos 5.159,87 pontos, com 15 dos 18 títulos que o compõem a negociarem positivos, um inalterado e um negativo.

A liderar os ganhos seguiam as ações do BCP, que avançavam 4,22% para 0,74 euros, corrigindo das perdas de perto de 10% que registou na quarta-feira, seguidas das do BPI que subiam 2,62% para 1,41 euros.

Do lado das perdas, o destaque é da Portugal Telecom (PT), que segue a negociar isolada no vermelho, com as ações a recuarem 2,41% para 1,42 euros.

Lisboa seguia a acompanhar as principais praças europeias, que seguem a tendência do fecho das bolsas asiáticas.

OJE/Lusa

Recomendadas

Wall Street fecha a perder, com Nasdaq e S&P 500 a tombar mais de 2%

A nível empresarial, destaque para a queda da Apple de quase 5% depois do Bank of America baixar a empresa de Neutral para Buy, citando preocupações com uma desaceleração nos gastos do consumidor.

PSI fecha no ‘vermelho’. Jerónimo Martins perde mais de 6%

Houve apenas duas cotadas a terminarem a sessão em terreno positivo. Os CTT fecharam a valorizar 3,82% para os 2,72 euros e a Galp cresceu 0,44%, com as suas ações nos 9,63 euros. No mercado cambial, o euro está a ter uma valorização de 0,46% face ao dólar, para os 0,9779 euros.

Wall Street arranca ‘mista’ numa Europa mergulhada no ‘vermelho’

A a Amazon está em destaque, após anunciar um aumento do salário médio dos trabalhadores de armazém, bem como os trabalhadores de entregas. O anúncio antecede em duas semanas o segundo evento de ofertas Prime Day da Amazon, marcado para 11 e 12 de outubro, evento que provocou uma crescente pressão sindical sobre a empresa.