PT, Galp e Mota-Engil animam Bolsa de Lisboa

A Bolsa de Lisboa está hoje a negociar em terreno positivo com o principal índice a valorizar 0,23% para 5.252,72 pontos, impulsionada pela Portugal Telecom, Mota-Engil e Galp Energia. Dos 18 títulos cotados, 17 subiam, três caíam e um mantinha-se inalterado, a Teixeira Duarte nos 0,81%. A Portugal Telecom lidera as subidas, ao valorizar-se 1,94% […]

A Bolsa de Lisboa está hoje a negociar em terreno positivo com o principal índice a valorizar 0,23% para 5.252,72 pontos, impulsionada pela Portugal Telecom, Mota-Engil e Galp Energia.

Dos 18 títulos cotados, 17 subiam, três caíam e um mantinha-se inalterado, a Teixeira Duarte nos 0,81%.

A Portugal Telecom lidera as subidas, ao valorizar-se 1,94% para 1,102 euros, enquanto a Mota-Engil avança 1,13% para 4,198 euros e a Galp Energia sobe 1% para 11,65 euros.

Já retalhista Jerónimo Martins recupera 0,81% para 8,136 euros no dia em que serão conhecidos os resultados relativos ao desempenho do grupo no terceiro trimestre do ano.

No sector da banca, o Banif lidera as quedas, ao perder 1,41% para 0,07 euros, o BCP cai 0,21% para 0,0948 euros e o BPI sobe 0,06% para 1,59 euros.

Em contraciclo, está também a elétrica EDP que perde 0,48% para 3,322 euros e a EDP Renováveis que perde 0,38% para 5,20 euros.

O lucro da EDP Renováveis caiu 45% nos nove primeiros meses deste ano, face ao mesmo período do ano passado, passando para os 56 milhões de euros.

OJE/Lusa

Recomendadas

Novabase suspende programa de recompra de ações

A tecnológica já tinha suspendido o programa em junho, tendo depois voltado a retomá-lo. Segundo informação publicada nessa altura, o programa estava previsto durar até 31 de dezembro de 2023.

Encarnado toma conta de Wall Street no fecho da sessão

Mesmo as ações da Taiwan Semiconductor Manufacturing, que negoceia no Dow Jones, caíram mais de 3% apesar de a empresa ter anunciado um investimento de 40 mil milhões de dólares no Arizona, o maior de sempre neste estado norte-americano.

Europa fecha em queda e PSI não é exceção. Juros soberanos em queda

As bolsas europeias fecharam em queda influenciadas pelos indicadores do Estados Unidos que sugerem maior agressividade na subida dos juros do outro lado do Atlântico.