PTP-Madeira: Direitos dos trabalhadores da Frente Mar não podem ser prejudicados por “falsos” administradores do PSD e PS

O partido considera que estes administradores são os que merecem “despedimento imediato e julgamento por gestão danosa e aproveitamento indevido da causa pública”.

O Partido Trabalhista Português (PTP) manifestou revolta para com os despedimentos de 13 funcionários, a decorrer na empresa Frente Mar, afirmando que os direitos dos trabalhadores “não podem ser postos em causa pela gestão danosa de falsos administradores” do Partido Social Democrata (PSD) e, no mandato anterior, do Partido Socialista (PS).

Em resposta à justificação do atual presidente da Câmara Municipal do Funchal (CMF), Pedro Calado, de que há funcionários da Frente Mar que durante anos nunca se apresentaram ao trabalho, o Partido Trabalhista afirmou que o real problema está nos administradores, os quais “nunca passaram de mandatários do PSD e PS” e que “durante anos faliram a empresa”.

O PTP considera que estes administradores são os que merecem “despedimento imediato e julgamento por gestão danosa e aproveitamento indevido da causa pública”.

O partido criticou também o “constante” financiamento financeiro a grande custo e de forma “insustentável” que foi feito na empresa municipal de modo a “albergar sucessivos quadros do PSD e PS”.

O presidente regional do PTP, Quintino Costa, apontou ainda para o facto de o PSD demonstrar estar “preocupado” com o destino dos 115 trabalhadores da Frente Mar há um ano atrás, e atualmente, a nova equipa de Pedro Calado procede a uma reestruturação em 10% dos trabalhadores da cerca de centena que os preocupava em 2020.

Recomendadas

Hoje é celebrado o Dia Internacional da Consciencialização sobre Perdas e Desperdício Alimentar

Na Europa, todos os anos, cerca de 89 milhões de toneladas de alimentos são deitados ao lixo. Em Portugal, estima-se que cada português desperdice cerca de 134 kg de alimentos por ano. Enquanto isto 1/6 da população mundial passa fome.

Madeira: Serviço Regional de Saúde visita Unidade de Ação Social do Hospital Garcia da Orta

A Unidade de Ação Social do SESARAM observou e conheceu a dinâmica e a metodologia de trabalho implementada na UHD do hospital e, em particular, a área de intervenção social.

Madeira: Acordos de gestão entre a Segurança Social e as IPSS vão passar para 20 anos

Neste sentido, com a presente alteração pretende-se adequar a duração dos acordos de gestão que envolvam a cedência de utilização do edificado em regime de comodato, onde sejam desenvolvidas respostas sociais, numa lógica de melhor aproveitamento dos recursos disponíveis.
Comentários