Brief.me: um novo conceito de ‘slow media’

O Brief.me aposta numa forma de jornalismo que permite, em poucos minutos, estar informado sobre os temas mais relevantes do dia.

 

Co-fundado em 2014 pelo ex-jornalista do Libération Laurent Mauriac, o Brief.me é um projeto de media francês, que inova por apostar num conceito de “slow media”. Ou seja, uma nova forma de jornalismo que permite, em poucos minutos, estar informado sobre os temas mais relevantes do dia. Tudo isto sem ficar perdido na grande quantidade de informação disponível na Internet e na necessária triagem de fake news. A ideia surgiu da necessidade de um dos fundadores de se atualizar no final do dia de trabalho, sem perder muito tempo. 

Através de uma newsletter que inclui apenas texto e alguns gráficos, o Brief.me resume e explica, com uma linguagem simples, os principais acontecimentos da atualidade. Este briefing diário pode ser lido (ou ouvido) também no site e na aplicação e inclui sempre uma notícia inusitada e conselhos práticos para o dia-a-dia.

O Brief.me tem também uma edição de fim de semana, permitindo aos subscritores votar previamente num tema que pretendam que seja aprofundado. Nessa edição é feito também um resumo de tudo o que aconteceu durante a semana.

Para os mais interessados em economia, está disponível o Brief.eco, um media especializado na cobertura de temas económicos e que inclui para além de notícias, questionários para testar conhecimentos.  

Os estudantes do ensino secundário têm acesso gratuito ao Brief.eco, uma oferta que visa cumprir a promessa de tornar a economia acessível ao maior número de pessoas.

Funcionando com um modelo de subscrição, sem publicidade, o Brief.me tem o preço de 4,90 euros por mês (ou 60 euros anuais) para uma audiência sobretudo jovem, com mais de metade dos subscritores com menos de 30 anos. 

 

Artigo original publicado em SuperToast by INSTINCT.
Também disponível em Newsletter e Podcast.

Recomendadas

“É importante pensar na estratégia do que se quer para a TAP”, refere administrador da Vila Galé

Gonçalo Rebelo de Almeida considera que é necessário perceber se Portugal quer transformar a TAP numa companhia mais pequena só a Europa ou se o país quer continuar a apostar no seu crescimento.
TAP

Finanças desconheciam bónus de três milhões acordado com CEO da TAP

O antigo ministro João Leão não teve conhecimento do montante do bónus da CEO da TAP que consta do contrato assinado a 8 de junho de 2021.

Premium“Vamos continuar a trabalhar as duas marcas em separado”

Neves e Almeida e CEGOC vão trabalhar em autonomia e com equipas de gestão próprias, mantendo a identidade de cada marca.
Comentários