Putin cortará fornecimento de petróleo e gás se preços forem limitados

A Rússia está disponível para cumprir os seus contratos mas cortará o fornecimento de gás, petróleo e carvão se alguém puser em causa os seus interesses, avisou hoje o Presidente russo, Vladimir Putin.

Bloomberg

O chefe de Estado da Rússia, que falava na 7.º Fórum Económico Oriental, que decorre em Vladivostoque, no extremo oriente do país, respondia às propostas apresentadas pelo G7 e pela União Europeia (UE) destinadas a limitar os preços do petróleo e gás russos.

“Existem compromissos estabelecidos nos contratos de fornecimento. Mas se qualquer tipo de ação política os puser em causa, simplesmente não os honraremos. [A Rússia] não fornecerá absolutamente nada se isso for contra os nossos interesses, neste caso económicos. Não forneceremos gás, petróleo ou carvão”, afirmou Putin.

O grupo dos sete países mais industrializados do mundo, o G7, levantou a possibilidade de permitir o transporte global de petróleo russo e respetivos derivados apenas se os produtos forem vendidos abaixo de um preço máximo, algo que Moscovo rejeita categoricamente.

A proposta tem como pano de fundo a tentativa de cortar o financiamento da campanha militar russa na Ucrânia, numa altura em que a UE adquiriu 54% de todos os combustíveis fósseis exportados pela Rússia desde o final de fevereiro por um valor de 85.100 milhões de dólares.

Embora não existam números oficiais disponíveis, estima-se que a Rússia tenha investido cerca de 100.000 milhões de euros no financiamento da guerra contra a Ucrânia, de modo que a receita da exportação de combustíveis se tornou o “fator chave” para a campanha militar russa.

Recomendadas

Embaixador russo em Lisboa diz que anexações são “direito consagrado na Carta da ONU”

O embaixador russo em Lisboa, Mikhail Kamynin, transmitiu hoje ao Governo português que a realização de referendos nas regiões ucranianas anexadas pela Rússia corresponde a “um direito consagrado na Carta das Nações Unidas”.

Governo avisa federação russa em Portugal: “UE adotará medidas restritivas adicionais” devido a anexação de regiões ucranianas

O Ministério dos Negócios Estrangeiros garante que a UE “continuará a apoiar a integridade territorial e a soberania da Ucrânia”, posição que demonstrou, esta segunda-feira, durante reunião com o embaixador da Federação Russa.

Ucrânia: Lavrov acusa Ocidente de imitar Hitler ao fornecer armas a Kiev

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, acusou hoje o Ocidente de imitar Hitler, ao usar a Ucrânia como “instrumento de guerra” contra a Rússia, como a Alemanha fez contra a URSS na Segunda Guerra Mundial.
Comentários