Putin vai declarar (oficialmente) guerra à Ucrânia a 9 de maio

O presidente russo vai aproveitar o “dia da vitória” a 9 de maio para anunciar uma mobilização total dos reservistas do exército russo. Putin também pode impor um recrutamento obrigatório.

epa09910064 Russian President Vladimir Putin meets with Russian Olympic and Paralympic athletes during a state awards ceremony for Russian medal winners of the Beijing 2022 Olympic Winter Games at the Kremlin in Moscow, Russia, 26 April 2022. EPA/YURI KOCHETKOV

O presidente russo prepara-se para declarar oficialmente guerra à Ucrânia no “dia da vitória” a 9 de maio, o dia em que a Rússia celebra a vitória sobre os nazis em 1945.

Esta possibilidade foi revelada à “CNN” por fontes de governos de países ocidentais.

Até agora, a propaganda russa tem-se referido à invasão da Ucrânia como uma “operação militar especial”.

Apesar de parecer um detalhe, o facto de declarar oficialmente guerra ao país vizinho vai permitir a Moscovo proclamar a mobilização geral dos reservistas do exército russo.

E vai também permitir ao Governo russo avançar para o recrutamento obrigatório de cidadãos para o exército.

Estas duas possibilidades vão permitir ao Kremlin enviar mais militares para a Ucrânia.  A “CNN” aponta que fontes diplomáticas ocidentais e ucranianas apontam para que, pelo menos, 10 mil soldados russos morreram na Ucrânia desde o início da invasão há dois meses.

Recomendadas

Ucrânia: Macron e Scholz pedem a Putin libertação de 2.500 militares de Azovstal

O presidente francês, Emmanuel Macron, e o chanceler alemão, Olaf Scholz, pediram este sábado ao presidente russo Vladimir Putin para libertar 2.500 combatentes ucranianos que estavam na fábrica de aço Azovstal, em Mariupol, e foram feitos prisioneiros pelos russos.

Europa devia olhar para África para reduzir dependência do gás russo

“A Europa na minha opinião devia olhar para áfrica. A África tem imenso gás”, disse o presidente do Banco Africano de Desenvolvimento.

Rússia testa míssil hipersónico que Putin considera “invencível”

O míssil Zircon foi disparado da fragata Almirante Gorshkov no Mar de Barents contra um alvo nas águas árticas do Mar Branco, segundo informações avançadas pelo Ministério da Defesa russo num comunicado citado pela agência de notícias France Presse (AFP).
Comentários