Quadrante escolhida pela Vinci para entrar no consórcio que vai desenvolver sete aeroportos em Cabo Verde

Os projetos inserem-se no âmbito do contrato de concessão que o Governo de Cabo Verde assinou com a Vinci Airports /ANA por um período de 40 anos, recorda a empresa em comunicado.

A Quadrante foi escolhida pela Vinci Airports – que gere a ANA – para desenvolver, em consórcio, os estudos de Arquitetura e Engenharia para a primeira fase do programa de desenvolvimento de sete Aeroportos em Cabo Verde.

Os projetos inserem-se no âmbito do contrato de concessão que o Governo de Cabo Verde assinou com a Vinci Airports /ANA por um período de 40 anos, recorda a empresa em comunicado.

“O Contrato de Concessão irá permitir a expansão, modernização, manutenção e exploração de quatro aeroportos internacionais (Ilhas do Sal, Santiago, Boa Vista e São Vicente) e de três aeródromos destinados a tráfego doméstico (Ilhas do Fogo, São Nicolau e Maio) e responder ao crescimento da Economia de Cabo Verde, que tem registado um aumento do tráfego aéreo desde 2010, atingindo 2,7 milhões de passageiros anuais em 2018”, refere o comunicado que revela que, após o impacto da Covid-19, como a maioria dos destinos turísticos em todo o mundo, o tráfego recuperou para 80% dos níveis de 2019 durante o segundo trimestre de 2022.

Nuno Costa, CEO da Quadrante, destaca que “esta é uma ótima oportunidade para reforçar Cabo Verde como destino turístico e até como um Hub regional, melhorando a sustentabilidade, a conetividade e performance operacional das infraestruturas aeroportuárias, ao mesmo tempo que contribuímos para oferecer uma experiência de excelência aos passageiros que visitam estes Aeroportos.”

“A Quadrante, empresa de consultoria e projeto de Arquitetura e Engenharia, anuncia assim, que o consórcio que integra irá apoiar o Grupo Vinci no desenvolvimento dos Estudos Prévios e Anteprojeto de Engenharia da primeira fase de desenvolvimento aeroportuário, incluindo intervenções nas Áreas Operacionais do Lado Ar e nos Terminais de Passageiros, bem como a implementação de sistemas de geração de energia com base em fontes renováveis (solar e eólica) para consumo dos aeroportos”, lê-se no comunicado.

A mesma nota detalha que os serviços incluem os projetos de arquitetura e interiores, estruturas, geometria e terraplanagem, pavimentos e drenagem aeroportuários, circulação de aeronaves, redes de abastecimento de água e incêndios, redes de recolha de águas residuais e pluviais, climatização e ventilação, instalações elétricas e de comunicação, instalações de gestão técnica centralizada, segurança, sinalização luminosa e o projeto elétrico e civil de parques eólicos e solares.

O CEO da Quadrante, referiu em comunicado também que “para a Quadrante é também fundamental participarmos no roteiro para a neutralidade carbónica do Grupo Vinci, uma vez que estas obras estão incluídas na meta de redução de 50% da pegada de carbono até 2030, com vista à neutralidade carbónica dos aeroportos até 2050”.

Os planos de descarbonização dos aeroportos preveem a aposta em produção local de energia verde através de parques eólicos e fotovoltaicos, que resulta do compromisso que o Governo de Cabo Verde definiu na COP21 de superar 50% de produção de energia a partir de fontes de energia renováveis até 2030.

“Os projetos assegurados pela Quadrante, em consórcio, incluem também a substituição de iluminação aeroportuária por LED, a instalação de sistemas de reutilização das águas dos treinos dos bombeiros e a instalação de sistemas eficientes de aquecimento, ventilação e climatização num dos terminais de passageiros”, revela a Quadrante.

Recomendadas

Cabo Verde quer cortar perdas de eletricidade na rede pública em 5,5 pontos em 2023

O Banco Europeu de Investimento vai financiar com 110 milhões de escudos (um milhão de euros) um programa para reduzir em 5,5 pontos percentuais as perdas de eletricidade na rede pública de distribuição em Cabo Verde em 2023, segundo o Governo.

CPLP: presidente da Guiné Equatorial à frente das contagens com 99,7% dos votos

A oposição denúncias fraude em massa e o único partido da oposição recusa reconhecer a vitória do líder octogenário, Teodoro Obiang. Há um mês, a CPLP congratulava-se com a integração do país como “Estado de pleno direito”.

Cabo Verde. Presidente assinala primeiro ano de mandato com críticas à crispação e avisos ao Governo

O Presidente da República cabo-verdiana, José Maria Neves, criticou hoje a “crispação” que permanece na política nacional, alertou que os tempos atuais “exigem consensos” e avisou que não é oposição, mas também não é “claque” do Governo.
Comentários