Quadro roubado por nazis a judeus em 1933 descoberto em museu americano

“A família Mosse perdeu praticamente tudo porque era judia. Mas não perdeu a esperança”, comentou a advogada do processo, Antoinette Bacon, acrescentando que a restituição “não retira a dor infligida, mas representa pelo menos uma forma de justiça”.

Um quadro do século XIX roubado a uma família judia em 1933 foi descoberto num pequeno museu em Albany, Estado de Nova Iorque, nos Estados Unidos, e devolvido passados 87 anos, divulgou hoje a polícia local.

“Winter” (“Inverno”), título do quadro pintado pelo artista americano Gari Melchers, fazia parte de um conjunto de mais de mil peças de arte roubadas à abastada família Mosse, residente em Berlim, que cedo se tornou um alvo do partido nazi, na Alemanha.

Os herdeiros da família, que têm vindo a investigar o paradeiro das peças roubadas com o apoio das autoridades, no âmbito do projeto Mosse de restituição de arte, receberam o quadro durante uma cerimónia de repatriamento da peça que decorreu nas instalações da polícia em Albany.

“A família Mosse perdeu praticamente tudo porque era judia. Mas não perdeu a esperança”, comentou a advogada do processo, Antoinette Bacon, acrescentando que a restituição “não retira a dor infligida, mas representa pelo menos uma forma de justiça”.

Este projeto, iniciado em 2011, já localizou e restituiu aos herdeiros mais de 50 peças de arte roubada que se encontravam em museus públicos e privados, bem como nas mãos de privados na Alemanha, Suíça, Áustria, Israel e os Estados Unidos.

“Winter”, que representa dois jovens com patins para a neve, foi comprado em 1900 pelo editor magnata Rudolf Mosse, que o tinha exposto numa grande residência em Berlim, repleta de objetos de arte.

A pintura viria a ser vendida em leilão em maio de 1934 a um comprador anónimo, e, cinco meses depois, estava exposta numa galeria em Nova Iorque, onde foi comprada por Bartlett Arkell, um colecionador rico que o colocou num museu com o seu nome em Canajoharie, no norte do Estado de Nova Iorque.

Recomendadas

Josep Borrell pressiona Israel sobre os palestinianos

O primeiro-ministro israelita Yair Lapid e o chefe de política externa da União desentenderam da reunião do Conselho da União Europeia-Israel, em Bruxelas. Pontos de vista diferentes sobre a Palestina e sobre o Irão ficaram bem evidentes.

Bulgária: eleições longe de resolverem crise política

Acusado de corrupção, o GERB voltou a ganhar as eleições e arrisca manter o país ingovernável. A única forma de ultrapassar o impasse seria um governo de coligação entre os dois maiores partidos, mas isso não parece estar no horizonte.

Indonésia. Polícia sob pressão pelo uso indiscriminado de gás lacrimogéneo

Os desacatos num estádio de futebol resultaram em 125 mortos, 17 dos quais crianças, de acordo com as autoridades. A atuação da polícia gerou o caos e vai contra as indicações da FIFA.
Comentários