Qual é o município menos endividado do país?

Os registos apontam que esta região tem o menor passivo por habitante do total dos 308 municípios portugueses, tendo terminado no ano de 2015 sem contração de novas dívidas a fornecedores e instituições bancárias.

A Mealhada é o município menos endividado do país. A Câmara, liderada por Rui Marqueiro, comanda pelo segundo ano o primeiro lugar no ranking nacional de municípios portugueses com melhor índice de dívida total segundo dados do Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses.

Os registos apontam que esta região tem o menor passivo por habitante do total dos 308 municípios portugueses, tendo terminado no ano de 2015 sem contração de novas dívidas a fornecedores e instituições bancárias.

A média nacional de passivo por habitante é de 725 euros, sendo que na Mealhada o valor se fica pelos 58,50 euros, um número bem abaixo da média e que “espelha a boa saúde financeira do município”, de acordo com o Público.

Na área de menor pagamento de juros ou encargos financeiros decorrentes de empréstimos, o município “que não apresenta encargos nesta rubrica orçamental” está em primeiro lugar desde 2014.

O concelho é considerado “fiscalmente aprazível”, devolvendo aos contribuintes os 5% de IRS e fixando a taxa de IMI nos valores mínimos legais. Também a taxa de derrame só é cobrada a empresas com volumes anuais de negócios superiores a 150 mil euros.

A Mealhada encontra-se assim em terceiro lugar no ranking global dos municípios do distrito de Aveiro, e em nono no ranking do global dos municípios de média dimensão com melhor saúde financeira, onde figuram municípios de 20 mil a 100 mil habitantes.

Recomendadas

Emirados Árabes Unidos vão fornecer à Alemanha gás liquefeito e gasóleo em 2022 e 2023

Segundo a agência noticiosa oficial dos Emirados, Wam, o acordo prevê a exportação de uma carga de gás natural liquefeito (GNL) para a Alemanha no final de 2022, seguida do fornecimento de quantidades adicionais em 2023.

Angola cresce 3,5% este ano, mas abranda para 1,8% em 2023

“O forte crescimento de Angola este ano dificilmente vai prolongar-se para 2023, já que a produção petrolífera deverá regressar à tendência decrescente”, lê-se numa análise às maiores economias da África subsaariana, região que deverá ver o PIB deste ano expandir-se 3,3%, abrandando face aos 4,4% do ano passado.

China diz que EUA estão a enviar “sinais perigosos” sobre Taiwan

O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês deixou claro que uma escalada das atividades independentistas torna difícil um acordo pacífico, no que diz respeito a Taiwan,
Comentários