Quanto vale o impacto de um rally em Portugal

O impacto económico do 49º Rally de Portugal realizado na Região do Norte resultou num crescimento de 16,4% face à edição anterior .


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O impacto económico da edição 49ª do Rally de Portugal realizada na Região do Norte resultou num crescimento de 17,9 milhões de euros face à edição do ano passado (mais 16,4%). O “Estudo do impacto do WRC Vodafone Rally de Portugal na economia do Turismo e Formação da imagem dos destinos: Região Norte de Portugal – edição 2015”, revela que o Rally teve, este ano, um impacto económico total estimado em 127,4 milhões de euros, o que é um valor recorde.

Elaborado pelo Centro Internacional de Investigação em Território e Turismo da Universidade do Algarve em parceria com a Universidade do Minho, o “Estudo do impacto do WRC Vodafone Rally de Portugal” resume os principais resultados e consequências da realização, em maio passado, da prova de 2015 na Região do Norte, naquela que foi a edição do regresso às origens ao fim de 14 anos de ausência.

Os dados revelam que “a despesa direta total gerada pelo WRC Vodafone Rally de Portugal 2015 na economia do turismo no Norte de Portugal, assegurada por adeptos e equipas, atingiu os 65,2 milhões de euros, estabelecendo um novo patamar máximo do evento e refletindo um acréscimo de 18,8% face à edição de 2014, isto é, mais 10,3 milhões de euros”. A receita fiscal proporcionada ao Estado pelo volume e tipologia de despesas dos adeptos, “com destaque para o setor da alimentação e bebidas, transportes internos e alojamento” atinge “os 24,3 milhões de euros em termos de IVA e ISP”.

Na perspetiva da exportação de serviços associados ao Rally como produto turístico, “estima-se que 46,5% desta despesa direta teve origem não nacional, isto é, realizada por adeptos não residentes em Portugal e cujo motivo de visita foi a assistência ao Rally”, o que terá gerado “um fluxo de exportações de turismo no valor imediato de 30,3 milhões de euros”.

Além destes impactos, o estudo refere que “a dimensão do Rally, associada à capacidade de projeção da imagem do evento e do destino através dos media, tendo por base os dados relativos às sete primeiras provas do calendário WRC de 2015 (nas quais se inclui o Rally de Portugal), é estimado um total de audiência acumulada de 444,6 milhões de espectadores, sendo que o WRC Vodafone Rally de Portugal foi responsável por 73,5 milhões, ou seja, 15% do total”. Os principais mercados atingidos foram a Polónia, França, Espanha, Finlândia e Itália.

OJE

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Portugal é o terceiro favorito a ganhar o Mundial, prevê casa de apostas

Após o triunfo por 6-1 frente à Suíça, resultado que colocou Portugal no caminho de Marrocos nos quartos-de-final do Mundial, a Seleção comandada por Fernando Santos é agora a terceira favorita a ganhar a competição, empatada com a Argentina e a Inglaterra.

Respostas Rápidas: Que jogadores de Portugal mais podem valorizar neste Mundial?

Da baliza ao ataque, da Luz ao Dragão passando por Madrid, a prestação da Seleção portuguesa no Mundial pode dar muito a ganhar em 2023, sobretudo aos clubes que “emprestam” os seus melhores ativos para a prova de seleções de excelência a nível mundial. Saiba que jogadores poderão sair mais valorizados com a promessa das milhões para o fecho de contas do primeiro semestre da temporada.