Quase todos os distritos do continente sob aviso amarelo devido à chuva

Todos os distritos de Portugal continental, com exceção de Évora, estão esta quinta-feira sob aviso amarelo devido à previsão de chuva forte e possibilidade de trovoadas, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Os 17 distritos do continente vão estar sob aviso amarelo até às 09:00 de hoje e entre as 03:00 e as 16:00 de sexta-feira.

O IPMA emitiu também um aviso amarelo para os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Lisboa, Setúbal, Beja e Faro por causa da agitação marítima, prevendo-se ondas de noroeste com 4 a 5 metros, temporariamente de oeste na sexta-feira.

O aviso amarelo de agitação marítima no continente vai estar em vigor entre as 15:00 de hoje e as 06:00 de sexta-feira.

Também por causa da agitação marítima, o IPMA colocou sob aviso laranja os grupos central (São Jorge, Terceira, Graciosa, Pico e Faial) e ocidental (Flores e Corvo) dos Açores até às 00:00 de sexta-feira, passando depois a amarelo até às 12:00.

Estes grupos estão ainda sob aviso amarelo por causa do vento forte até às 18:00 de hoje.

O grupo oriental (São Miguel e Santa Maria) está sob aviso amarelo por causa da agitação marítima, com ondas de noroeste de 5 a 7 metros, até às 00:00 de sexta-feira.

O IPMA colocou ainda as costas Norte e Sul da ilha da Madeira sob aviso amarelo por causa da agitação marítima com ondas de noroeste com 4 a 5 metros até às 12:00 de sexta-feira.

O aviso laranja é o segundo mais grave e representa uma situação meteorológica de risco moderado a elevado.

Já o aviso amarelo é emitido pelo IPMA sempre que a situação meteorológica representa risco para determinadas atividades.

Recomendadas

Furacão Ian. Autoridades dos EUA esperam consequências “catastróficas”

O Estado norte-americano da Florida prepara-se hoje para a chegada do furacão Ian, que devastou o oeste de Cuba e que está “a intensificar-se rapidamente”, podendo ter consequências “catastróficas”, segundo os serviços meteorológicos locais.

Alterações climáticas. Terra aproxima-se do ‘ponto sem retorno’, diz primatologista Jane Goodall

“Sabemos o que devemos fazer. Quero dizer, temos as ferramentas. Mas deparamo-nos com o pensamento de curto prazo de ganho económico versus a proteção de longo prazo do meio ambiente para assegurar um futuro”, indicou a cientista que ficou conhecida pelo seu estudo pioneiro de seis décadas sobre chimpanzés na Tanzânia.

Ativistas aumentam pressão sobre governos para intensificarem esforços de ação climática

Até ao momento, mais de 80 processos judiciais foram iniciados em todo o mundo para “obrigar” os governos a intensificarem os esforços.
Comentários