Quatro escolas portuguesas no top 100 europeu

Portugal é o sétimo país europeu com mais escolas representadas no ‘ranking’ do Financial Times. Em 2019 são quatro: Nova SBE, Católica-Lisbon, ISCTE-IUL e Porto Business School.

Nova SBE e Católica-Lisbon andam lado a lado no ranking das melhores escolas de negócios europeias. Em 2019, a escola de Daniel Traça levou a melhor, classificando-se em 30.º lugar, e no 32.º surge a escola de Filipe Santos. Não são as únicas a distinguir-se. A ISCTE Business School (IBS) integra o ranking pelo terceiro ano consecutivo, obtendo a 66ª posição. E logo a seguir, na 67.ª posição, está a Porto Business School (PBS).

Ramon O’Callaghan, dean da PBS, explica que a presença neste ranking há 11 anos consecutivos é “o resultado de todo o empenho, trabalho conjunto e iniciativa para inovar e desenvolver programas ajustados às necessidades atuais”.

Idêntica é a justificação de Maria João Cortinhal, diretora da ISCTE Business School: “A IBS tem vindo a conquistar um crescimento notável nos últimos anos, sustentado pela qualidade do ensino e da investigação científica, os quais têm dado importantes contributos para o setor financeiro e empresarial ao nível de quadros superiores”.

A aposta no crescimento, inovação e internacionalização nos mestrados e na formação de executivos guindaram a Nova SBE à liderança nacional. “Somos a escola número um de gestão em Portugal e estamos no Top 30 da Europa. O caminho que escolhemos continua assim a dar resultados e vamos acelerar nesse sentido”, garante Daniel Traça, dean da Nova SBE.

A excelência e qualidade do ensino e investigação” da Escola, que funciona “como rampa de lançamento para um excecional futuro profissional dos nossos alunos” são os argumentos invocados pelo dean da Católica-Lisbon, Filipe Santos. Esta foi a primeira escola portuguesa a integrar este ranking.

No ranking das melhores business schools europeias elaboorado pelo jornal britânico “Financial Times” 2019, a França domina o top 10 com três escolas: a HEC Paris é a número um, o INSEAD (5.º) e a Essec Business School (7º). A inglesa London Business School, que durante os últimos três anos deu cartas, caiu para o segundo lugar, enquanto a Said, da Universidade de Oxford, se mantém no 10º. lugar. As espanholas IESE (6.º) e IE Business Scool (8.º), a italiana Bocconi (3.º) e a alemã ESMT Berlim (9.º) também integram este restrito grupo.

Portugal, a par da Irlanda, Itália e Suíça – é o sétimo país europeu com mais escolas de gestão. Esta presença reflete o crescimento contínuo e a aposta na qualidade da formação nesta área.

Este é o “ranking dos rankings”, uma vez que é elaborado com base no desempenho combinado das várias escolas nos cinco rankings FT mais importantes: MBA, Executive MBA, Masters in Management, Open Executive Education programs e Custom Executive Education programs. É uma avaliação da qualidade global das escolas.

Recomendadas

Três praias de Oeiras interditadas a banhos

As praias de Caxias, Santo Amaro de Oeiras e Paço de Arcos foram interditadas a banhos, desde sexta-feira, depois das análises à qualidade da água revelarem valores microbiológicos acima dos parâmetros de referência, revelou hoje a Autoridade Marítima Nacional.

António Almeida-Dias: “Ao contrário do ensino superior estatal, não pedimos dinheiro ao Governo”

Presidente da APESP defende que Portugal tem muito a ganhar com um ensino superior privado que usufrua da autonomia e liberdade consagradas na Constituição e que o Estado limita. O setor privado da economia já demonstrou ser o motor da inovação e do progresso, diz.

IPLeiria constrói cinco residências e renova sete num investimento de 25 milhões do PRR

Com este investimento, o Politécnico vai assegurar residências de estudantes em todas as cidades onde conta com oferta formativa, nomeadamente em Leiria, Caldas da Rainha, Peniche, Marinha Grande, Pombal e Torres Vedras.
Comentários