Quebra de 2,84% coloca tudo a vermelho no PSI20

O principal índice da bolsa portuguesa (PSI20) encerrou a sessão de hoje a perder 2,84%, pressionado por perdas da Portugal Telecom (PT) e da banca, e no dia em que Bruxelas reviu em baixa a retoma da economia. O PSI20 perdeu 2,84%, para os 5.061,37 pontos, com todas as 18 cotadas que compõem o índice […]

O principal índice da bolsa portuguesa (PSI20) encerrou a sessão de hoje a perder 2,84%, pressionado por perdas da Portugal Telecom (PT) e da banca, e no dia em que Bruxelas reviu em baixa a retoma da economia.

O PSI20 perdeu 2,84%, para os 5.061,37 pontos, com todas as 18 cotadas que compõem o índice a fecharem no vermelho.

A PT desvalorizou 12,05% para 1,197 euros, depois de uma série de sessões no verde.

Já o setor da banca variou numa mesma tendência: as perdas foram gerais e variaram entre os 2,86% do Banif e os 5,37% do BCP.

A Galp Energia, por seu turno, caiu 4,32% para os 10,96 euros, e, ainda no setor da energia, a EDP desvalorizou 1,56%, para 3,28 euros.

O índice da bolsa portuguesa acompanhou a tendência de queda nas principais praças europeias, cenário que se verificou num dia em que se soube que as previsões económicas de outono, hoje divulgadas em Bruxelas pela Comissão Europeia, reveem em baixa as previsões da primavera de há seis meses, admitindo o executivo comunitário que a retoma é e será mais lenta mais que o esperado.

De acordo com as novas previsões, a economia crescerá apenas 0,8% este ano na zona euro e 1,3% na União Europeia, e em 2015 crescerá 1,1% no espaço da moeda única e 1,5% no conjunto dos 28 Estados-membros, quando, em maio passado, por ocasião das previsões da primavera, Bruxelas previa valores superiores a estes já para 2014 (1,2% e 1,6%, respetivamente), que se reforçariam em 2015 (1,7% e 2,0%).

 

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Metade do tráfego aéreo nacional está fora de Lisboa, lembra Secretária de Estado do Turismo

A secretária de Estado do Turismo pediu aos empresários que não baixem braços enquanto continua a discussão em torno do novo aeroporto para a capital, elogiando ainda o trabalho de angariação de rotas que foi feito durante a pandemia pelo Turismo de Portugal.

Banco de Portugal. “Espera-se que haja arrefecimento da atividade económica”

“É de esperar que o aumento da inflação e taxas de juro traga redução do rendimento disponível das famílias e que os níveis de consumo terão que ser reduzidos”, reconheceu o novo administrador do Conselho de Administração do Banco de Portugal (BdP), Rui Miguel Correia Pinto.