Quem deve pagar as comissões aos empresários? Os jogadores, diz a Liga inglesa

Responsáveis da competição querem acabar com as comissões exigidas pelos agentes dos jogadores que desejam transferir-se para clubes ingleses. Reunião desta quinta-feira poderá ser decisiva para a mudança da lei.

A liga inglesa de futebol pode esta quinta-feira sofrer alterações de relevo já que os responsáveis pela prova irão reunir-se para implementarem várias medidas, em relação às transferências de jogadores para este campeonato. Segundo revela a “Sky Sports”, a principal alteração diz respeito a que deixem de ser os clubes a pagar as comissões das transferências, para serem os próprios jogadores a pagarem esses valores aos seus empresários.

Se esta mudança for aprovada, isso fará com que os salários dos jogadores sejam aumentados, de modo a que possam pagar as respetivas comissões aos seus agentes. Esta ideia dos responsáveis pela liga inglesa começou a ganhar força, desde a chegada em 2016, de Paul Pogba ao Manchester United, que levou o clube a pagar ao empresário do jogador francês, Mino Raiola, 46 milhões de euros em comissões.

Na última temporada, os agentes de jogadores que se transferiram para o campeonato inglês receberam na totalidade perto de 250 milhões de euros. Valores que levam a que reunião desta quinta-feira tenha mais três propostas por parte dos responsáveis da Premier League. Em primeiro lugar, se é o próprio campeonato que empreende esta medida por si só, ou se levará esta ideia à FIFA.

A liga inglesa pretende também modificar parte do mercado de transferências colocando um limite de 5% nas comissões e exigir que os agentes passem por um género de exame para perceberem se são capazes de atuar como intermediários.

Finalmente, os responsáveis pelo campeonato inglês querem que as transferências que dizem respeito à Premier League sejam feitas em contas bancárias no Reino Unido e que os agentes apresentem os retornos anuais, perante a Federação inglesa.

De acordo com a “Sky Sports”, os clubes ingleses acreditam que muitos agentes movimentam os seus jogadores anualmente para obterem comissões mais altas, enquanto atuam como intermediários entre futebolistas e equipas aumentando os seus custos.

O órgão de comunicação social britânico dá mesmo o exemplo do empresário português Jorge Mendes, e liga as contratações constantes do Wolverhampton, onde jogam os portugueses Rui Patrício, Roderick Miranda, João Moutinho, Pedro Gonçalves, Rúben Neves, Rúben Vinagre, Hélder Costa e Ivan Cavaleiro.

Recomendadas

Rebranding: compensa tocar no que há de mais sagrado nos clubes? Veja o “Jogo Económico”

Daniel Sá, especialista em marketing desportivo e diretor-executivo do IPAM, é o convidado desta edição em que vamos ainda debater a chamada ao Parlamento do presidente da Federação Portuguesa de Futebol e a dura sanção aplicada a uma “velha senhora” do futebol europeu.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Dois adeptos afastados da final da Taça da Liga por causa de artefactos pirotécnicos

A Autoridade para a Prevenção e Combate à Violência no Desporto (APCVD) divulgou hoje que aplicou a “medida cautelar de interdição de acesso a recintos desportivos” a esses dois adeptos, ficando assim ambos impedidos de marcar presença no estádio Dr. Magalhães Pessoa.
Comentários