Quem é o Pablo Escobar brasileiro que conta com Portugal no seu currículo?

O ex-major brasileiro Sérgio Carvalho foi preso esta terça-feira, depois de anos a fugir às autoridades, forjando até a própria morte. Os seus negócios passavam por Portugal, onde chegou a esconder-se e a deixar para trás 11 milhões de euros

Sérgio Roberto de Carvalho, de 63 anos, foi preso esta terça-feira, na Hungria, por liderar um esquema de narcotráfico à escala internacional que fez com que passasse a ser conhecido como “Escobar brasileiro”, em referência a Pablo Escobar Gaviria, o maior traficante de cocaína de sempre, segundo noticia o portal brasileiro “UOL“, que cita as autoridades brasileiras.

O ex-major Carvalho é considerado um dos maiores narcotraficantes da atualidade. Coordenava uma rede que levou 45 toneladas de cocaína do Brasil para várias cidades europeias, entre as quais está Lisboa. A própria polícia federal brasileira confirmou estas informações, após prender.

O esquema teve início em 2017, com a droga a sair dos portos do Paranaguá e Santos, assim como outras cidades do sul e do nordeste brasileiro. Após atravessar o oceano, era descarregada não só na cidade de Lisboa, como também de Barcelona e Algeciras (Espanha), Le Havre (França), Gioia Tauro e Livorno (Itália), Hamburgo (Alemanha) e Antuérpia (Bélgica).

Na fuga às autoridades, deixou para trás 11 milhões de euros numa carrinha, em Lisboa. No dia 20 de agosto de 2020, Carvalho forjou a própria morte quando o Ministério Público espanhol estava prestes a pedir a sua prisão – com pena prevista de 13 anos e seis meses.

Foi detido esta terça-feira com um passaporte mexicano falso.

Recomendadas

Polícia norueguesa considera tiroteio de Oslo como “terrorismo islâmico”

Os serviços de informação noruegueses (PST) afirmaram hoje que consideram o tiroteio em frente a bares no centro de Oslo como um ato de “terrorismo islâmico extremista”.

Shangai sem novos casos de Covid-19 pela primeira vez desde março

Já em Pequim, foram relatas duas novas infeções locais este sábado.

“Vai salvar muitas vidas”. Biden promulga lei bipartidária para restringir o acesso a armas

Na quinta-feira, o Supremo Tribunal tinha determinado pela primeira vez que a Constituição dos EUA protege o direito de um indivíduo de possuir uma arma em público para autodefesa.
Comentários