Quem quer um castelo em Itália? É de graça

Com o propósito de salvaguardar monumentos do património nacional, impedindo que se transformem em ruínas, o governo italiano procura jovens empreendedores a quem oferecer mais de 100 edifícios históricos, apenas com uma condição: tornar os espaços em pontos de atração turística.

O objetivo passa por “aliviar a tensão nas áreas mais populares do país [como Veneza] e promover destinos menos explorados”, conforme avançou o Ministério de Património Cultural. Entre spa, hotel, restaurante, ou qualquer outra atração turística, o primeiro passo a dar dos potenciais proprietários é demonstrar ao governo como intencionam reabilitar o espaço histórico e atrair os visitantes.

No total são 103 monumentos históricos, em vários pontos de Itália, entre eles o Castello di Blera, um castelo medieval do século XI, localizado no cimo de uma montanha em Lazio, perto de Roma, e o Castello di Montefiore, do século XIII, na região de Marche, no leste do país, de acordo com o The Independent.

Duas novidades: Além de existirem mais 200 edifícios estão programados para inclusão no projeto nos próximos dois anos, os potenciais proprietários que tenham ideias particularmente boas de como utilizar determinados locais, serão recompensados com um contrato de arrendamento de 50 anos.

A iniciativa é aberta a qualquer pessoa que se queira candidatar à reabilitação de um destes monumentos históricos, num período de nove anos, com possibilidade de renovação por mais nove. Contudo, o governo italiano irá dar prioridade aos candidatos com idade inferior a 40 anos. Para os interessados, basta preencher o formulário do projeto, até o dia 26 de maio.

Recomendadas

Respostas Rápidas: como deve investir a pensar na reforma?

Com uma estrutura demográfica cada vez mais envelhecida, as dúvidas em torno da sustentabilidade da Segurança Social no médio-prazo reforçam o papel da poupança privada no rendimento dos portugueses em reforma, pelo que importa compreender os vários instrumentos financeiros ao seu dispor.

Respostas rápidas: é assim que pode ir para a reforma antes dos 66 anos e sete meses

Não tem 66 anos e sete meses, mas quer ir para a reforma? Há vários regimes que permitem a antecipação da pensão de velhice. O Jornal Económico explica, com base num guia do ComparaJá.

Respostas Rápidas: como pode aceder ao complemento solidário para idosos ou outras pensões?

A propósito do Dia Internacional do Idoso e dado o envelhecimento cada vez maior da sociedade portuguesa, importa compreender como podem os contribuintes aceder a vários apoios disponibilizados pela Segurança Social.
Comentários