“Quem viajar no verão vai sentir o aumento dos preços”, antecipa Francisco Calheiros

Francisco Calheiros reconhece que os turistas vão sentir o aumento dos preços, mas atira: “depois de dois anos sem sair, este ano não tenho grandes dúvidas que não é por ser 5% ou 10% mais caro que a pessoa não vai vir.”

Cristina Bernardo

O presidente da Confederação do Turismo de Portugal (CTP), Francisco Calheiros, antecipa que “quem está habituado a fazer férias no Algarve ou Porto Santo ou seja onde for, vai sentir um aumento de preços”, já que as empresas do setor têm de fazer refletir a inflação. Em entrevista ao Jornal de Negócios e à Antena 1, não teme, contudo, que essa evolução dos preços afaste os turistas.

“Os estudos que indicam que há alguns hábitos que se alteraram depois da pandemia. Por exemplo, maior investimento na saúde, e maior despesa no lazer. As pessoas querem aproveitar mais, e depois de dois anos sem sair, este ano não tenho grandes dúvidas que não é por ser 5% ou 10% mais caro que a pessoa não vai vir”, salienta Francisco Calheiros.

O líder da CTP enfatiza, além disso, que a inflação é um fenómeno global, não local, pelo que o turista inglês ou alemão, quando comparar destinos, “vai verificar esse aumento de preço em qualquer dos destinos”. O responsável observa, ainda assim, que as empresas não conseguirão “transmitir todo o aumento do custo de produção no custo de venda”.

 

Recomendadas

Vítor Constâncio vê Portugal com menor probabilidade de uma recessão do que resto da UE

A reduzida exposição à energia russa significa que Portugal está numa posição vantajosa para fazer face aos próximos semestres, considerou o antigo governador do BdP, ainda que seja expectável uma “recessão leve” na Europa e nos EUA.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira, 4 de julho

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta segunda-feira.

Produção industrial aumentou 12% em 2021, retomando os níveis de 2019 (com áudio)

Entre os produtos mais vendidos o ano passado, destacaram-se os Gasóleos e Marine Diesel, que registaram um crescimento de 4,2% e representaram 3,7% do total das vendas de produtos produzidos.
Comentários