Quer ser administrador da Caixa? É só enviar currículo

As redes sociais estão ao rubro com a nova (e falsa) proposta de trabalho que surgiu na Internet.

Cristina Bernardo

Miguel Melo Azevedo, António Simões, Nuno Amado, José Félix Morgado… A lista de propostas para a presidência da Caixa Geral de Depósitos (CGD) tem crescido nos últimos dias. E se fosse você a assumir o cargo que António Domingues largou?

O portal de ofertas de emprego “E2 Empregos & Estágios” publicou, esta terça-feira, um novo e curioso anúncio no website: uma proposta de trabalho para presidência da CGD. Tudo não passa de uma brincadeira do E2, mas milhares de pessoas já partilharam a falsa oferta.

O candidato que a CGD supostamente procura tem de ter o seguinte perfil: ter “disponibilidade para deslocações”, “capacidade de trabalhar em equipa”, “conhecimentos de informática na ótica do utilizador” e (esta é muito importante) “entregar a tempo as declarações de rendimentos no Tribunal Constitucional”.

De acordo com a anúncio, a Caixa é “um grupo bancário português com altos padrões de exigência e liderança que se refletem na capilaridade da sua presença nacional, assim como na escala internacional da sua estrutura – com incidência nos países de língua portuguesa e de destino da emigração”

A principal função do alegado futuro presidente do banco público será apenas “efetuar com sucesso a recapitalização do banco”.

Recomendadas

Tribunal de Contas só recusa visto a 1% dos contratos em fiscalização prévia

“Recebemos para fiscalização prévia cerca de 2.000 a 4.000 contratos por ano só para fiscalização prévia, que são os contratos com valores superiores a 750 mil euros. Desse montante, apenas a uma percentagem muito reduzida é que o Tribunal de Contas recusa o visto: cerca de 1%. Aqui está a força dissuasora da função de fiscalização prévia”, explicou.

Portugal sobe duas posições no Ranking Mundial de Talento e é agora o 24.º mais competitivo

Portugal melhora sobretudo na Investigação & Desenvolvimento e na Preparação. O podium mundial é liderado pela Suíça, Suécia e Islândia, as três economias mais competitivas em talento a nível mundial entre os 63 países analisados pela escola de negócios IMD.

António Costa: Ambiente+Simples ajuda investimento nas renováveis

O primeiro-ministro afirmou que a desburocratização e a digitalização da administração pública é fundamental para reduzir custos e facilitar o investimento nas renováveis.
Comentários