Quer aprender a investir como Warren Buffett?

A filosofia do investimento em valor vai estar em destaque na conferência “O Triunfo dos Otimistas”, nos dias 15 e 16, em Lisboa e Braga, com a presença de Elroy Dimson, especialista de renome mundial.

Ao longo das últimas seis décadas, o investidor americano Warren Buffett tornou-se uma lenda dos mercados financeiros ao construir uma fortuna colossal através de investimentos inteligentes na bolsa. Buffett é seguidor da filosofia do investimento em valor, que pode ser resumida em poucas palavras: comprar ações a um preço inferior ao seu valor intrínseco, agarrando as oportunidades que o mercado ignora. Ou, como diz o próprio Buffett, “o preço é aquilo que se paga, o valor é o que se obtém”.

Esta filosofia de investimento surgida nos anos 20 do século passado, pelas mãos de Benjamin Graham e David Dodd, será o tema da conferência “O Triunfo dos Otimistas”, que a Casa de Investimentos e o Jornal Económico vão promover nos próximos dias 15 e 16 de novembro, no Centro Cultural de Belém (Lisboa) e na Universidade do Minho (Braga), respetivamente. Este evento será uma oportunidade rara para ouvir em Portugal o professor universitário Elroy Dimson – considerado um dos principais especialistas mundiais em mercados financeiros -, juntamente com várias personalidades do setor financeiro, da academia e do mundo das empresas. Tal como Elroy Dimson, a CEO da Casa de Investimentos, Emília Vieira, estará presente nas duas sessões.

Doutorado pela London Business School, Dimson é chair da Newton Centre for Endowment Asset Management na Cambridge Judge Business School e professor emérito na London Business School. É co-autor do livro “O Triunfo dos Otimistas”, onde é feita uma comparação entre os retornos obtidos ao longo de 117 anos, em 23 países, através do investimento em valor e do investimento em crescimento (este último passa pela aposta em ações que têm uma apreciação de capital superior e cujo preço está a subir).

A conclusão do livro é que o investimento em valor permite um retorno superior ao do investimento em crescimento, bem como face ao investimento noutras classes de ativos, como as obrigações.

“Analisámos a performance de longo prazo, em 23 países diferentes, de duas estratégias de seleção de ações com base no valor. A primeira estratégia é investir em ações com um elevado rácio de valor contabilístico para valor de mercado por ação (book-to-market). A segunda é investir em ações com elevadas taxas de dividendos em detrimento de ações com taxas baixas”, disse Elroy Dimson em entrevista ao Jornal Económico, na semana passada.

“A série mais longa para a seleção de ações com base no book-to-market é para os Estados Unidos: desde o final de 1926 até ao final de 2016, as ações de valor bateram as ações de crescimento por uma margem de 3,3% anuais”, explicou.

Mas o professor universitário admite que, por vezes, as ações de crescimento têm melhores resultados.“Se me pergunta, no entanto, se as evidências a favor do investimento em valor são claras, tenho algumas reservas. Em primeiro lugar, o prémio varia de mercado para mercado. Segundo, os intervalos durante os quais o valor é uma estratégia vencedora são episódicos; por vezes, as ações de crescimento têm melhor performance. Na realidade, historicamente, verificam-se longos períodos em que a performance relativa das estratégias de crescimento foi superior”, disse.

“No entanto, no longo prazo, espero que as ações de valor vençam”, concluiu Dimson.

Relacionadas

Comprar barato para mais tarde vender caro

O investimento em valor prevê uma margem de segurança, que consiste na diferença entre o preço e o valor intrínseco de uma ação.
Recomendadas

Hoje é celebrado o Dia Internacional da Consciencialização sobre Perdas e Desperdício Alimentar

Na Europa, todos os anos, cerca de 89 milhões de toneladas de alimentos são deitados ao lixo. Em Portugal, estima-se que cada português desperdice cerca de 134 kg de alimentos por ano. Enquanto isto 1/6 da população mundial passa fome.

Dificuldades em pagar as contas? Processo de insolvência singular pode ser um caminho

O consumidor em situação ou na iminência de incumprimento e sem qualquer perspetiva, a médio ou longo prazo, de que a sua situação financeira se altere poderá recorrer ao tribunal para pedir a insolvência singular.

Comparadora de seguros HelloSafe recebe mais quatro milhões para expandir em Portugal

“Este financiamento irá apoiar a nossa ambição de nos tornarmos a plataforma internacional número um em Portugal para comparar produtos financeiros e de seguros”, diz Oleksiy Lysogub, cofundador da empresa canadiana. ‘Insurtech’ vai contratar 40 pessoas.
Comentários