Quer fugir ao trânsito esta noite? Utilize os transportes públicos

Em Lisboa e no Porto os transportes públicos vão ser reforçados para evitar o acumular das filas de trânsito.

Na noite da passagem de ano os transportes públicos vão ter uma maior frequência, para que todos aqueles que desejam entrar o ano fora de casa, possam chegar aos locais de celebração sem terem a necessidade de perder tempo nas filas de trânsito.

Na cidade do Porto, a ociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) vai reforçar o serviço e o Metro vai  funcionar toda a madrugada em seis das suas sete linhas.  De acordo com um comunicado da operadora, a Rede de Madrugada começa a operar às 21.00 horas do último dia do ano até às 05:30 de 01 de janeiro, “contemplando o dobro dos autocarros nas linhas que vão para a Baixa da cidade do Porto, nos troços de maior procura”.

Disponível durante a noite e madrugada vai estar o “Park & Ride Andante”, para o estacionamento de veículos particulares em parques periféricos, num sistema associado ao título de transporte Andante. Com o tarifário especial Andante será possível estacionar em parques do Campo Alegre, Casa da Música, Trindade, Campo 24 de Agosto e Estádio do Dragão.

A rede de metro vai funcionar toda a noite e será reforçada, com exceção da Linha Violeta (com ligação ao Aeroporto e que encerra às 1.00 horas). “O reforço da oferta arranca a partir das 22.00 horas e com serviço maioritariamente em veículos duplos, prolongando-se até às 5.00 horas de 1 de janeiro”, informa a empresa, em comunicado.

Em Lisboa, a Carris vai reforçar as  as carreiras 201, 207 e 210 a partir do Cais do Sodré, Rossio e Santa Apolónia. Contudo, no início da manhã do dia 1 de janeiro existirá uma menor frequência de elétricos e autocarros. Situação mais complicada para quem vive na margem sul do Tejo, já que a Soflusa irá fazer greve nos dias 31 e 1 de dezembro.

Já o metro irá funcionar durante toda a noite na madrugada de 1 de janeiro, nas linhas Azul, Verde e Vermelha, mantendo abertas as seguintes estações após a 1h: Linha Azul: Reboleira, Amadora, Pontinha, Colégio Militar/Luz, Jardim Zoológico, São Sebastião, Marquês de Pombal, Restauradores e Baixa-Chiado;

Linha Verde: Telheiras, Campo Grande, Areeiro, Alameda, Anjos, Rossio, Baixa-Chiado, Cais do Sodré; Linha Vermelha: Moscavide, Oriente, Olivais, Chelas, Alameda e São Sebastião.

A estação do Terreiro do Paço na linha azul irá encerrar no dia 31 de dezembro às 18h30, reabrindo no dia 1 de janeiro às 6h30.

O terminal fluvial do Barreiro estará encerrado na segunda-feira, a partir das 17:55, e o do Terreiro do Paço a partir das 18:20, não se realizando as travessias a partir desses horários. No dia 1 de janeiro de 2019 vão realizar-se travessias entre as 08:25 e as 17:25 do Barreiro para o Terreiro do Paço e, no sentido inverso, entre as 08:55 e as 17:55.

Segundo a Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (FECTRANS), esta greve deve-se a “aspetos de organização do trabalho e desempenho de tarefas”, bem como a relativas à valorização das carreiras dos trabalhadores comerciais que, dizem, “a administração teima em não resolver”.

Recomendadas

Dia Mundial do Professor. Marcelo felicita docentes pela “competência, dedicação e entusiasmo”

Numa nota publicada na página da Presidência da República na internet, é recordado que hoje se assinala o Dia Mundial do Professor, instituído pela UNESCO para “evidenciar o papel dos professores, absolutamente essencial para o sucesso das novas gerações e no desenvolvimento das sociedades”.

5 de outubro: Marcelo pede que se faça avançar democracia com “caminho para todos”

Num discurso de onze minutos, na cerimónia comemorativa dos 112 anos da Implantação da República, na Praça do Município, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa falou dos governos que “tendem quase sempre a ver-se como eternos” e das oposições “quase sempre a exasperarem-se pela espera”, afirmando em seguida que “nada é eterno” e que “a democracia é por natureza o domínio da alternativa, própria ou alheia”.

Cleanwatts vai criar uma Comunidade de Energia Renovável em Braga

“Vamos instalar uma Central Fotovoltaica de 1,2 MWp (megawatts-pico), com mais de 2.100 painéis solares, nos telhados da Arquidiocese de Braga, que será integrada numa Comunidade de Energia Renovável”, explica Basílio Simões, fundador e presidente da Cleanwatts.
Comentários