Premium“Queremos reforçar e ampliar a rede da diáspora”

O Conselho da Diáspora Portuguesa conta com 90 conselheiros espalhados pelo mundo, estando presente em 50 cidades, de 26 países, nos cinco continentes, mas quer crescer.

O Conselho da Diáspora Portuguesa conta com 90 conselheiros espalhados pelo mundo, estando presente em 50 cidades, de 26 países, nos cinco continentes, mas quer crescer. O presidente da direção, António Calçada de Sá, explica ao Jornal Económico quais são os objetivos da nova estratégia.

Quais são as novas linhas estratégicas do Conselho da Diáspora Portuguesa?
Basicamente, temos três linhas dentro da nova estratégia do Conselho da Diáspora. Primeiro, queremos construir uma diáspora mais forte, capaz de manter e reforçar tudo aquilo que foi realizado ao longo de dez anos com muito esforço e dedicação. Ou seja, queremos manter e reforçar o legado recebido. Mas queremos fazer outras coisas, como reforçar e ampliar a rede da Diáspora Portuguesa no mundo – mais portugueses motivados em ajudar Portugal, mais países e mais diversidade –, mantendo sempre uma excelente articulação e coordenação com as nossas instituições, como a Presidência da República, o Ministério dos Negócios Estrangeiros, AICEP, embaixadas, associações, etc.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Maria Freitas: “Nós vemos aquilo que o médico não vê”

Nesta entrevista ao SuperToast by Instinct, Maria Freitas, CEO da uMore, explica como é que a aplicação de saúde mental desenvolvida por esta startup permite a doentes em tratamento reportar as suas emoções entre consultas. Os dados são partilhados com os médicos, que podem assim intervir com maior rapidez.

Anja Monrad: “Um retalhista disse-me: sabe quantas mozarelas tenho de vender para investir em tecnologia?”

A ‘general manager’ da Dell Technologies na Europa Ocidental esteve em Portugal e disse ao Jornal Económico que já há empresas a querer reverter a opção pela ‘cloud’ pública para software ‘on-premise’. A tecnológica norte-americana apresenta contas trimestrais esta segunda-feira.

AHRESP: “A nossa economia só cresce se o turismo crescer”

A secretária-geral da AHRESP diz, ao Económico Madeira, que é preciso ter um turismo que deixe “mais valor e que deixe mais receitas” no país, e salienta que o sector é a locomotiva da economia.
Comentários