Rafael Mora também sai da Oi

Depois de renunciar ao lugar de administrador da Pharol foi a vez de ser anunciada ao mercado a saída da administração da Oi.

Em comunicado ao mercado a Oi diz ter recebido a renúncia de Rafael Mora e que, com a renúncia, “João Vicente Ribeiro, anteriormente suplente do Sr. Rafael Mora, passará a conselheiro titular”. Isto é, passa a administrador em representação do acionista Pharol.

João Vicente Ribeiro é também administrador da Pharol, para onde entrou em Junho de 2015.

Rafael Mora apresentou a renúncia aos cargos de administrador da Pharol (ex-PT SGPS) e da Oi.

A saída do  ex-administrador da Ongoing é explicada por decisão pessoal, mas o ambiente na administração da Oi era hostil a Rafael Mora.

A revista brasileira Piauí, relatou mesmo um confronto entre Nelson Tanure (acionista com 8% da Oi) e Rafael Mora numa recente reunião do conselho de administração.

Nelson Tanure estava a convencer os acionistas portugueses (Novo Banco, o BCP e a Visabeira) a retirarem Rafael Mora da administração. Tal como relatou o Expresso. Não se sabe se isso terá influenciado a decisão de Mora.

 

 

 

Relacionadas

Rafael Mora sai da Pharol no dia em que Lisboa aprova PER da Oi

Com a aceitação do PER da Oi em Portugal, a operadora brasileira fica também protegida contra credores portugueses.
Recomendadas

Albergaria investe 3,7 milhões de euros na zona industrial para captar investimento e criar emprego

O município “tem realizado um forte investimento no desenvolvimento económico, dinamizando o sector empresarial e a economia local” nos últimos anos, segundo António Loureiro, Presidente da Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha.

Cleanwatts vai criar uma Comunidade de Energia Renovável em Braga

“Vamos instalar uma Central Fotovoltaica de 1,2 MWp (megawatts-pico), com mais de 2.100 painéis solares, nos telhados da Arquidiocese de Braga, que será integrada numa Comunidade de Energia Renovável”, explica Basílio Simões, fundador e presidente da Cleanwatts.

“Angola representa uma oportunidade para os nossos acionistas”, afirma CEO do Access Bank

“Angola representa uma oportunidade para os nossos acionistas participarem no que acreditamos que irá gerar um valor mais forte à medida que África vai emergindo”, explicou Herbert Wigwe, CEO da Access Holding Pics, numa entrevista exclusiva para a Forbes África Lusófona.
Comentários