Raríssimas: Ex-presidente continua na associação, agora como diretora-geral

A SIC avança que Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na Raríssimas e identifica-se como diretora-geral.

Paula Brito e Costa, ex-presidente da Raríssimas, continua em funções na associação de acordo com informação avançada pela SIC.

De acordo com o testemunho de alguns funcionários, a ex-presidente da Raríssimas identifica-se agora como diretora-geral, tendo passado essa informação a alguns colaboradores da instituição.

Ainda de acordo com a SIC, Paula Brito e Costa tem pedido para que lhe enviem documentação de trabalho e esclarece que agora irá trabalhar a partir de casa.

Paula Brito e Costa já formalizou esta manhã o seu pedido de demissão da Raríssimas — Associação Nacional de Deficiências Mentais e Raras ao presidente da Assembleia Geral. A associação vai realizar a uma nova assembleia geral “nos primeiros dias de janeiro” para designar os novos membros.

A formalização da demissão acontece dois dias depois de Paula Brito e Costa ter afirmado que iria sair do cargo, depois de terem sido levantadas suspeitas sobre si de gestão danosa da instituição.

Em causa está a reportagem do canal de Queluz que trouxe a público documentos e testemunhos comprometedores sobre o trabalho da presidente da associação Raríssimas, Paula Brito e Costa. A TVI noticiou ainda que o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social sabia de antemão todas as irregularidades.

Relacionadas

Raríssimas: Paula Brito e Costa já apresentou demissão

A associação vai realizar a uma nova assembleia geral “nos primeiros dias de janeiro” para designar os novos membros.

“Isto não é a Raríssimas”, diz ex-dirigente de IPSS da Guarda acusado de corrupção

“Isto não é a Raríssimas”, defende-se José Sequeira Abrantes. O ex-vice-presidente da Cercig da Guarda aguarda ainda saber se vai a julgamento, uma vez que pediu a abertura de instrução do processo.

Maria Cavaco Silva “espantada” e “preocupada” com situação na Raríssimas

A ex-primeira-dama diz que a instituição “faz muita falta”.

Raríssimas: Trabalhadores alertam para risco de fecho por falta de dinheiro

Os trabalhadores da “Raríssimas” avisaram hoje que associação está em risco de fechar por falta de acesso às contas bancárias e apelaram ao primeiro-ministro para que envie uma direção idónea para permitir o funcionamento.
Recomendadas

Cenário económico não anula metas de descarbonização

O cenário de uma possível recessão, associada à já frágil conjuntura macroeconómica, não assusta o sector, que diz estar “bem mais preparado” do que em 2008. As fragilidades herdades da pandemia persistem, mas importa não perder o foco das metas estabelecidas.

PremiumMudar o sector alimentar para atingir metas de carbono zero

Mesmo que todas as emissões nocivas fossem imediatamente interrompidas, as emissões do sistema alimentar global seriam suficientes para elevar o limite de subida da temperatura global em 1,5°C graus.

Projetos de transição vão sofrer com efeitos da crise

Os processos de transição climática em curso já estão a sofrer soluços no atual cenário macroeconómico e há lições a tirar. “Tudo vai custar muito mais do que se pensava”, garante o CEO da Madoqua Renewables ao Jornal Económico.
Comentários