Raríssimas: Paula Brito e Costa já apresentou demissão

A associação vai realizar a uma nova assembleia geral “nos primeiros dias de janeiro” para designar os novos membros.

Paula Brito e Costa já formalizou esta manhã o seu pedido de demissão da Raríssimas — Associação Nacional de Deficiências Mentais e Raras ao presidente da Assembleia Geral. A associação vai realizar a uma nova assembleia geral “nos primeiros dias de janeiro” para designar os novos membros.

A formalização da demissão acontece dois dias depois de Paula Brito e Costa ter afirmado que iria sair do cargo, depois de terem sido levantadas suspeitas sobre si de gestão danosa da instituição.

Em causa está a reportagem do canal de Queluz que trouxe a público documentos e testemunhos comprometedores sobre o trabalho da presidente da associação Raríssimas, Paula Brito e Costa. A TVI noticiou ainda que o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social sabia de antemão todas as irregularidades.

O trabalho jornalístico dá conta de despesas pessoais elevadas em vestuário e deslocações por parte de Paula Brito da Costa e noticia que a presidente aufere cerca de seis mil euros por mês em ordenados e despesas de representação. Na investigação, o secretário de Estado da Saúde, que foi consultor da associação recebendo 3 mil euros por mês, e a deputada socialista Sónia Fertuzinhos, que viajou até à Noruega paga pela Raríssimas também surgem envolvidos no esquema de utilização fraudulenta de recursos associativos.

Segundo a TVI, uma carta enviada pelo ex-tesoureiro da Raríssimas Jorge Nunes, datada a 9 de agosto, pedia a intervenção de José António Vieira da Silva, através do Instituto da Segurança Social. A polémica surgiu dessa missiva, que levou a entender que o ministro já teria de ter conhecimento das irregularidades nas contas desta associação solidária.

 

Recomendadas

Madeira: Direção Regional da Saúde deixa várias sugestões para evitar doenças cardiovasculares

A Direção Regional de Saúde (DRS) salienta que as doenças cardiovasculares são a principal causa de mortalidade, no mundo, em Portugal e na Madeira. “A evidência científica demonstra que mudanças nos estilos de vida podem fazer a diferença na redução desta mortalidade”, diz a DRS.

Saúde em debate na primeira conferência do PROJETOR 2030

Arranca esta quarta-feira o ciclo de conferências PROJETOR 2030, promovido pela Associação Comercial do Porto e que conta com o Jornal Económico como media partner. Na sessão de abertura, a saúde estará no centro do debate e os oradores serão convidados a responder à questão “O cidadão está no centro do sistema?”.

Alliance Healthcare tem um novo CEO

Paulo Clímaco Lilaia é o novo CEO da Alliance Healthcare, anunciou a empresa que  armazena e distribui produtos farmacêuticos, em comunicado.
Comentários