Raríssimas: Trabalhadores alertam para risco de fecho por falta de dinheiro

Os trabalhadores da “Raríssimas” avisaram hoje que associação está em risco de fechar por falta de acesso às contas bancárias e apelaram ao primeiro-ministro para que envie uma direção idónea para permitir o funcionamento.

Numa declaração à imprensa, hoje na Casa dos Marcos, na Moita, uma porta-voz dos trabalhadores explicou que a associação “Raríssimas” deixou de ter acesso às contas bancárias desde a demissão da presidente, Paula Brito e Costa, na terça-feira.

“Corremos o risco de fechar porque não temos dinheiro por muito tempo para dar comida. Corremos o risco de fechar porque não temos dinheiro por muito tempo para dar medicamentos” aos quase 200 utentes da associação, disse a porta-voz dos trabalhadores.

A responsável apelou ao primeiro-ministro, António costa, para que envie para a Casa dos Marcos “uma comissão de gestão ou uma direção provisória que possa fazer funcionar esta casa”.

Relacionadas

Raríssimas: Vieira da Silva aprovou contas antes de ir para o Governo

O atual ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social apadrinhou ainda uma parceria entre a Raríssimas e uma congénere sueca, tendo conhecimento que Paula Brito e Cunha apresentava a IPPS como uma fundação.

PSD sobre a inspeção à Raríssimas: “Porquê só agora?”

O PSD acusou hoje o Governo de ter falhado na função de fiscalização no caso da Raríssimas e exigiu conhecer os resultados de uma auditoria que o PS disse ter sido iniciada nesta instituição em 31 de julho.

Raríssimas: “Havia um pressuposto de que as coisas foram feitas na legalidade”, realça diretor da Casa dos Marcos

Nuno Branco disse ainda que a direção está a “ponderar” apresentar a demissão.

Raríssimas: Inspetores da Segurança Social visitam Casa dos Marcos

O ministro do Trabalho e da Segurança Social, Vieira da Silva, já tinha afirmado que as autoridades “estavam no terreno”.

Vieira da Silva sobre a Raríssimas: “Estou de consciência tranquila”

O ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social voltou a responder às questões sobre os testemunhos de gestão danosa da associação Raríssimas.
Recomendadas

Moçambique baixa receitas fiscais do gás ao fundo soberano para 40%

Moçambique deverá ser um dos maiores exportadores mundiais de gás a partir de 2024, beneficiando não só do aumento dos preços, no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, mas também pela transição energética.

PCP defende aumento do salário mínimo nacional para 850 euros em janeiro

O secretário-geral do PCP acusou o Governo de querer “retomar todos os caminhos da política de direita, fazer comprimir ainda mais os salários, facilitar a exploração, abrir espaço para os negócios privados na saúde e na educação, condicionando ou justificando as suas opções com as orientações e imposições da União Europeia e do euro”.

Irão: Impacto das sanções dos EUA prejudica cooperação com Portugal

Mortza Damanpak Jami destaca que as relações comerciais podem sair afetadas, mas as culturais têm-se desenvolvido, com “muitas oportunidades e muitos programas ligados à cultura”.
Comentários