Receios de nova vaga de Covid-19 na China assustam Wall Street

Os investidores mostram-se também cautelosos numa semana onde empresas como a Microsoft, Amazon e Apple vão apresentar os resultados do primeiro trimestre do ano.

Brendan McDermid / Reuters

A bolsa nova-iorquina abriu a sessão desta segunda-feira, 25 de abril, em baixa devido aos receios dos investidores sobre os novos surtos de Covid-19 na China, mas também com os aumentos consecutivos das taxas de juros nos Estados Unidos.

No início da sessão, o S&P 500 cai 0,59%, para 4,246.76 pontos, o tecnológico Nasdaq desvaloriza 0,22%, para 12,811.03 pontos, e o industrial Dow Jones desce 0,54%, para 33,628.53 pontos.

“Os confinamentos na China estão a piorar. Isso leva a uma desaceleração do crescimento económico geral e também cria problemas na cadeia de suprimentos que vai continuar a diminuir o crescimento dos lucros nos Estados Unidos”, refere Christopher Grisanti, chefe de estratégia da MAI Capital Management.

Os investidores mostram-se também cautelosos numa semana onde empresas como a Microsoft, Amazon e Apple vão apresentar os resultados do primeiro trimestre do ano, relembrando as perdas de 17,9% apresentadas pela Netflix na semana passada.

Esta segunda-feira está também a ser marcada pelo possível acordo para a compra da rede social Twitter vender as suas ações por 50,41 euros a Elon Musk, num negócio avaliado em 39,7 mil milhões de euros.

Recomendadas

Wall Street encerra mista. Resultados das tecnológicas aliados à inflação preocupam investidores

O S&P 500 encerra a perder 0,81% para os 3.941,48 pontos. O índice tecnológico Nasdaq também fechou o dia em terreno negativo, a cair 2,35% para 11.264,45 pontos. Já o industrial Dow Jones encerrou o dia no ‘verde’, a subir 0,15% para 31.928,62 pontos.

Bolsa de Lisboa contraria Europa e encerra em terreno positivo com a EDP a liderar ganhos

Contrariamente, as congéneres europeias encerram a sessão no ‘vermelho’, excetuando o espanhol Ibex 35, que valoriza 0,05%.

Wall Street abre no ‘vermelho’. Snapchat arrasta sector tecnológico com perdas superiores a 38%

As ações da Snapchat (Snap) caem 38,05% para 13,96 dólares e arrastam o sector tecnológico depois de a empresa ter emitiu uma declaração em que fazia uma revisão em baixa das suas previsões sobre o crescimento trimestral e apontou para a deterioração do ambiente macroeconómico.
Comentários