Receitas da Renault ascendem a 12,2 mil milhões de euros no terceiro trimestre

As receitas do Grupo Renault ascenderam a 12,2 mil milhões de euros no terceiro trimestre do ano, um aumento de 15,9% face aos resultados homólogos de 2016. As vendas também subiram: 9,4%.

Numa altura em que o mercado mundial de automóveis cresceu 3,4%, a Renault anuncia um aumento de 9,4% nas vendas dos seus veículos, para um total de 866.233 unidades, durante o terceiro trimestre do ano. Estes resultados equivalem a um aumento de 15,9% nas receitas da marca francesa, para um total de 12,2 mil milhões de euros, bem como a um crescimento de 0,2% no que respeita à quota de mercado mundial detendo agora 3,8%.

Na Europa, as vendas cresceram 4,9%, bem acima do crescimento de 1,4% do mercado. Os 397.097 veículos vendidos entre julho e setembro equivalem a 9,9% do mercado europeu, mais 0,3% do que em igual período do ano passado. O Clio continua a liderar as vendas da marca na Europa (é o segundo mais vendido), ao passo que o ZOE Z.E. 40 obteve um crescimento de 67% nas vendas, registando um total de 6.665 unidades vendidas. A Dacia registou um aumento de 10,3% nas vendas, principalmente devidas a uma boa performance do Sandero (+12%).

Fora da Europa, o grupo continua a consolidar a sua posição, com o sucesso de novos modelos: as vendas subiram 13,5%, ao passo que o mercado registou uma expansão de 5,5%. Na Eurásia, as vendas subiram 24,3%, ligeiramente acima da Rússia, onde as vendas do grupo (que detém a Lada) subiram 22,9%.

Na Ásia-Pacífico, as vendas aumentaram 21,1%, com grande destaque para a China, onde as vendas subiram uns impressionantes 123,6%, para as 16.807 unidades. Na América, as vendas também subiram, neste caso 14%, com a quota de mercado a subir 0,4% para um total de 7,3%. O grande motor desta subida tem sido a recuperação do mercado brasileiro, que registou uma subida de 14,6%. A região que alberga a África, o Médio Oriente e a Índia registou-se uma descida de 1,3%, principalmente devida à quebra de vendas de 20,7% na Índia, na antecâmara do lançamento do Captur, que acontece em novembro.

Relacionadas

Renault quer mudança nas portagens portuguesas

Fabrice Crevola, novo responsável da Renault em Portugal, espera que, até ao próximo ano, o Governo reveja o sistema de portagens, que o próprio diz que “não faz sentido”. E diz estar a pressionar o Governo

Renault-Nissan e Dongfeng parceiras no desenvolvimento de elétricos

A Aliança Renault Nissan e o Dongfeng Motor Group assinaram uma parceria para o desenvolvimento conjunto de veículos elétricos na China. A nova empresa, eGT New Energy Automotive Co. irá utilizar as sinergias dos dois parceiros para produzir veículos elétricos competitivos para o mercado chinês, o maior do mundo.
Recomendadas

Ministro da Economia: Mão-de-obra “está no centro das preocupações” do governo

O ministro da Economia e do Mar disse hoje que a questão da mão-de-obra em Portugal “está no centro das preocupações” do governo, alegando que a economia não poderá ser desenvolvida estando o país em retração demográfica.

Gestor da Ascendi Miguel Martín sucede a Cristina Casalinho na presidência do IGCP

O gestor da Ascendi Miguel Martín vai suceder a Cristina Casalinho na presidência do IGCP – Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública, de acordo com despacho das Finanças hoje publicado em Diário da República.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.
Comentários