Reclamações a empresas promotoras de eventos e bilheteiras disparam mais de 250%

A See Tickets e a Ticketline são as entidades com mais queixas, acolhendo 355 do total registado.

O número de reclamações dirigidas a bilheteiras e a empresas promotoras de eventos ou concertos disparam mais de 250% este ano, comparativamente com 2021, quando ainda não havia festivais de verão nem um volume tão grande de acontecimentos culturais. Entre os principais motivos de reclamação estão problemas com os reembolsos, fraude e mau atendimento, revela o Portal da Queixa.

Desde o início de 2022, até ao dia 6 de setembro, os portugueses registaram 901 reclamações nesta categoria, um aumento de 254% em comparação com o período homólogo de 2021, onde foram apresentadas 254 queixas.

A See Tickets e a Ticketline são as entidades com mais queixas, acolhendo 355 do total registado. Seguiram-se a Viagogo (79 reclamações), Blueticket (56) e a Festicket (34).

“De salientar que, comparativamente com 2019 — ano de pré-pandemia e em que se realizaram, à semelhança deste ano, concertos, festivais e espetáculos dentro da normalidade —, verificou-se uma subida ainda mais acentuada do número de reclamações registadas em 2022, a ultrapassar os 1000% de crescimento, durante o mesmo período de análise (1 de janeiro a 6 de setembro)”, indica o comunicado.

Este ano, entre os principais motivos de reclamação estão problemas com o reembolso (39%), fraudes com bilhetes (31%) e queixas por mau atendimento/serviço (19%).

Recomendadas

Exposição no Museu da Marinha celebra a amizade entre Alberto I do Mónaco e Dom Carlos I

No âmbito das comemorações do centenário do desaparecimento do Príncipe Alberto I do Mónaco, o Museu de Marinha de Lisboa irá acolher uma exposição organizada pelo Comité Albert Ier – 2022. Estará patente ao público a partir de dia 15. A inauguração, na véspera, conta com a presença do atual Príncipe do Mónaco, Alberto II.

“Trair e Coçar é só começar” vai ter dois ensaios solidários

O público português tem a oportunidade de assistir aos últimos ensaios antes da grande estreia e apoiar, assim, duas associações de solidariedade.

PremiumPara saudar o regresso de um majestoso Jaen

Serve este texto para saudar a aposta de um produtor do Dão, a Caminhos Cruzados, integrada há cerca de dois anos no grupo da Quinta da Pacheca (no Douro), na comercialização de um monovarietal de uma das castas mais singulares que se produzem em Portugal: a Jaen (Mencia, em Espanha). Há quem diga que em relação à Jaen, ou se ama ou se detesta.
Comentários