Reclamações dirigidas à CP disparam 66% este ano. Dia de greve deve aumentar registos

Os atrasos nos comboios ou comboios suprimidos absorvem 41% do total das queixas; a falta de informação acolhe 24%; os problemas com a compra online de bilhetes (16%) e más condições, 15% das denúncias registadas.

O número de reclamações dirigidas à CP – Comboios de Portugal registou, um aumento de 66% este ano, face a 2021, revela uma análise do Portal da Queixa com dados até 29 de novembro. Atrasos e supressões de comboios, falta de informação, problemas com compra de bilhetes e más condições são as principais queixas dos consumidores.

Os trabalhadores da CP cumprem esta quarta-feira (a par dos profissionais da Infraestruturas de Portugal) uma paralisação de 24 horas que, até às 08h00, suprimiu 143 comboios, devendo assim aumentar ainda mais o registo de queixas. Em causa está a reivindicação do cumprimento do acordo de empresa e um prémio financeiro para mitigar os efeitos da inflação.

“Entre os dias 1 de janeiro e 29 de novembro deste ano, os consumidores registaram 281 reclamações dirigidas à CP, o que significa um crescimento de 66% do número de queixas, em relação ao período homólogo de 2021, onde os portugueses apresentaram apenas 169 queixas”, esclarece o comunicado do Portal da Queixa.

Os atrasos nos comboios ou comboios suprimidos absorvem 41% do total das queixas; a falta de informação acolhe 24%; os problemas com a compra online de bilhetes (16%) e más condições, 15% das denúncias registadas.

“A página da CP no Portal da Queixa traduz o nível de insatisfação dos consumidores perante o serviço, uma vez que apresenta um Índice de Satisfação pontuado em 12.5 em 100 e, nos últimos 12 meses, a média da avaliação de satisfação dos utilizadores é de 1.3 em 5. A Taxa de Resposta da CP é de 7,1% e a Taxa de Solução de 7,4%. Indicadores estes que espelham a baixa performance da empresa na resposta e resolução aos problemas que lhe são reportados”, lê-se na nota.

Recomendadas

Dinamarquesa Eurowind Energy investe mais de 400 milhões de euros em Portugal

A multinacional dinamarquesa Eurowind Energy, que inaugurou esta terça-feira o segundo parque solar de produção de eletricidade do país, quer investir até ao fim desta década mais de 400 milhões de euros em Portugal.

Oito empresas portuguesas no index de igualdade de género da Bloomberg

Em análise estiveram cinco aspetos, desde a capacidade de liderança de talentos até às medidas contra o assédio sexual em ambiente profissional.

EBA lança teste de stress de 2023 para a banca e usa o mais severo de sempre dos cenários adversos

O teste de stress a nível da UE será conduzido numa amostra muito maior em comparação com anos anteriores, abrangendo 70 bancos da UE e 75% do total dos activos bancários na UE. Em termos de queda do PIB, o cenário adverso de 2023 é o mais severo utilizado até à data em toda a UE nos testes da banca.
Comentários