Recorde. Mercedes clássico vendido por 135 milhões

O carro, de 1955, foi adquirido por um colecionador privado no início do mês. Só foram feitas duas construções do modelo e esta vai ser exposta ao público em ocasiões especiais

Mercedes-Benz AG/AFP

Um Mercedes-Benz de 1955 foi vendido pelo valor mais mais alto alguma vez pago por um carro. Do modelo em causa só foram construídos dois carros e este foi vendido no início do mês por 135 milhões de euros segundo informou na quinta-feira a RM Soltheby’s, empresa que organizou o leilão, de acordo com a “France 24”.

O Mercedes-Benz 300 SLR Uhlenhaut Coupe foi vendido a um colecionador privado por um valor que significa um novo recorde como carro mais caro de sempre, por um valor que é mais do dobro do que o anterior valor máximo. O registo tinha sido estabelecido há quatro anos, por um Ferrari 250 GTO de 1962, que saiu por 45 milhões de euros.

O leilão decorreu no dia cinco de maio, num museu da Mercedes-Benz, em Estugarda, na Alemanha. O veículo entra diretamente para o “top-10 dos itens vendidos por mais dinheiro em leilões de qualquer categoria de coleção”, de acordo com a RM Soltheby’s, companhia especializada em leilões de viaturas e que realizou o leilão.

“O comprador concordou que o 300 SLR Uhlenhaut Coupe vai ficar disponível ao público em ocasiões especiais, enquanto a outra cópia do modelo vai continuar em exposição- no museu da Mercedes-Benz em Estugarda”, acrescentou a empresa.

Recomendadas

Israel abateu três drones do Hezbollah no Mediterrâneo

O exército israelita afirmou hoje que abateu três drones do grupo xiita libanês Hezbollah e que se dirigiam a um campo de gás no Mediterrâneo, numa área marítima disputada pelos dois países.

Manifestações pelo direito ao aborto reúnem milhares em França

Várias manifestações ocorreram hoje em França em defesa do direito ao aborto e para manifestar apoio às mulheres norte-americanas, depois da decisão, na semana passada, do Supremo Tribunal dos Estados Unidos, de revogar esse direito.

Marcelo parte para São Paulo ainda sem “comunicação por escrito” de Bolsonaro

O chefe de Estado português afirmou hoje, antes de partir do Rio de Janeiro para São Paulo, que continua sem receber nenhuma “comunicação por escrito” do Presidente do Brasil a cancelar o almoço de segunda-feira em Brasília.
Comentários