Recurso à contratação de trabalhadores temporários continua a aumentar

“O aumento é transversal a todos os setores de atividade e faz-se sentir de igual modo em toda a Europa”, refere a Autoridade para as Condições do Trabalho.

Tanto em Portugal como no resto da Europa o recurso à contratação de trabalhadores temporários continua a aumentar, em todos o setores. Isto é, são cada vez mais as empresas que recorrem à contratação de trabalhadores temporários, de acordo com o comunicado da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) divulgado esta segunda-feira.

“O aumento é transversal a todos os setores de atividade e faz-se sentir de igual modo em toda a Europa”, lê-se no documento que sublinha o fim da campanha que promove os direitos dos trabalhadores temporários, dia 11 de dezembro.

Há dois anos, foi criada a Campanha Segurança e Saúde para os Trabalhadores Temporários com objetivo de promover e garantir aos trabalhadores temporários os mesmos direitos dos restantes trabalhadores. Na terça-feira, pelas 14h, essa campanha é encerrada num evento no Auditório CICCOPN, na Maia, para dar a conhecer o balanço dos dois anos de atividades.

A campanha contou com a participação de parceiros sociais e institucionais, e visou a melhoria das condições de segurança e saúde no trabalho dos trabalhadores temporários, a redução da sinistralidade laboral e a dinamização de uma cultura de segurança e saúde nas empresas e estabelecimentos.

Recomendadas

Premium“Portugal é um país onde ainda compensa ser-se corrupto”

Quem o diz é o presidente da Transparência Internacional Portugal, Nuno Cunha Rolo. Já a deputada socialista Alexandra Leitão lamenta que se coloquem os políticos todos no mesmo saco.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Corrupção. Em menos de onze meses, já há mais 733 novos inquéritos do que na totalidade de 2021

Entre 1 de janeiro e 25 de novembro de 2022, foram registados 3.598 novos inquéritos relativos a crimes de corrupção e criminalidade conexa, aumento considerável face à totalidade do ano de 2021, período em que deram entrada 2.865 inquéritos, revela a Procuradoria Geral da República em comunicado.
Comentários