Red Bull ameaça deixar a Fórmula 1

A Red Bull anunciou que vai abandonar a Fórmula 1 caso não arranje motores que dêem garantias de competitividade às suas equipas, Red Bull Racing e Toro Rosso, na próxima temporada. “Se não tivermos um motor com garantias de competir, a Red Bull não vai estar presente na Fórmula 1”, disse hoje um dos consultores […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A Red Bull anunciou que vai abandonar a Fórmula 1 caso não arranje motores que dêem garantias de competitividade às suas equipas, Red Bull Racing e Toro Rosso, na próxima temporada.

“Se não tivermos um motor com garantias de competir, a Red Bull não vai estar presente na Fórmula 1”, disse hoje um dos consultores da escuderia, Helmut Marko.

Marko referiu ainda que a Ferrari podia evitar que a Red Bull Racing e a Toro Rosso abandonassem a competição se lhes fornecessem motores de qualidade, mas sublinhou que uma alternativa de potência inferior “não é uma opção”.

Carlos Ghosn , presidente da Renault, que fornecia motores à Red Bull desde 2007, afirmou na quarta-feira que vai deixar de equipar escuderias de Fórmula 1 em 2016.

“Alertámos os responsáveis da Fórmula 1 para não contarem connosco como fornecedores. Acabou”, disse o presidente da Renault.

A Mercedes também se recusou a disponibilizar motores à equipa do ’touro vermelho’, assim como outros fabricantes que não integram à competição, como a Volkswagen e a BMW, que também responderam negativamente ao apelo da Red Bull.

OJE

Recomendadas

António Costa e a maldição do sete. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes”

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

Reabilitação do Centro Municipal de Desportos Náuticos de Coimbra já foi consignada

A primeira fase de reabilitação dos pavilhões do Centro Municipal de Desportos Náuticos de Coimbra, orçada em 338 mil euros, foi consignada hoje, revelou o município.

Mundial2022: Qatar retifica que morreram 40 trabalhadores nas obras dos estádios

Um porta-voz do Campeonato do Mundo de Futebol do Qatar retificou hoje o número anteriormente anunciado por um responsável de trabalhadores mortos na construção dos estádios para a competição, de “entre 400 e 500” para 40.