PremiumRede ‘Aqui é Fresco’ conta chegar ao fim do ano com 780 lojas, diz João Vieira Lopes

Com dez anos de existência em Portugal, a rede independente de supermercados desenvolvida pela cooperativa UniMark encerrou o ano passado com uma faturação de 436 milhões de euros, mais de 700 lojas e cerca de três mil colaboradores.

A rede ‘Aqui é Fresco’ é constituída por um grupo de 727 lojas de proximidade independentes, supermercados e minimercados, espalhadas por todo o país, que se uniram com o objetivo de melhor servir os consumidores, garantindo-lhes assim, a melhor qualidade ao melhor preço.

O objetivo desta rede, desenvolvida nos últimos dez anos pela UniMark, é “dar mais voz ao comércio tradicional português”, prevendo chegar ao final deste ano com um total de 780 lojas, após a abertura programada de mais 50 unidades durante o presente ano.

À frente do projeto da UniMark está João Vieira Lopes, mais conhecido por ser presidente da CCP – Confederação do Comércio de Portugal, que concedeu uma entrevista ao Jornal Económico em que revela que a rede faturou 436 milhões de euros no ano passado, apesar da pandemia, e avança com projetos de crescimento para 2021 e anos seguintes.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Martín Tolcachir nomeado CEO Global do Grupo Dia

Tolcachir assumirá a estratégia da empresa a nível global e liderará a execução da estratégia de aceleração para o crescimento em todos os países onde opera, revela o grupo.

Seca no rio Reno põe em risco transporte de mercadorias

Os patrões alemães consideram que o governo federal, juntamente com os vários estados federados, o sector da logística e as empresas industriais, “deve estabelecer um sistema de monitorização próximo para reagir prontamente” ao baixo nível das águas.

Falta de gelo? Mercadona sem limitação de vendas nas lojas em Portugal

Os supermercados em Espanha estão a limitar o número de embalagens de gelo que vendem por cliente, tendo em conta a escassez deste produto devido à maior procura por causa do calor e à menor produção provocada pelos preços da eletricidade.
Comentários