Reforma fiscal continua a dar otimismo a Wall Street

Os congressistas Republicanos chegaram a acordo com o presidente Donald Trump sobre a proposta de reforma fiscal e as bolsas norte-americanas têm negociado desde então com ganhos.

Crash de 25% em Wall Street

A aprovação de uma nova lei fiscal nos Estados Estados que traga um corte nos impostos para as empresas parece cada vez mais uma realidade e Wall Street abriu esta sexta-feira animado pela perspetiva.

O índice industrial Dow Jones ganha 0,48% para 24.625,42 pontos, enquanto financeiro S&P 500 sobe 0,45% para 2.663,84 pontos e o tecnológico Nasdaq 0,32% para 6.878,62 pontos.

No mercado cambial, o dólar aprecia-se face às pares europeia e britânica. A moeda norte-americana valoriza 0,01% para 0,849 euros e 0,78% para 0,750 libras. Já contra a divisa japonesa, o dólar deprecia-se 0,06% para 112,32 ienes.

No mercado secundário de dívida, os juros das obrigações norte-americanas a 10 anos avançam 14 pontos base para 2,37%.

Esta quarta-feira, a Reserva Federal norte-americana subiu o federal funds rate pela terceira vez este ano e os congressistas Republicanos chegaram a acordo com o presidente Donald Trump, sobre a proposta de reforma fiscal, incluindo uma redução da taxa sobre as empresas para 21%, dos atuais 35%.

Além das notícias políticas, os próprios negócios também estão a impulsionar as ações. A Disney anunciou esta quinta-feira que chegou a acordo para comprar parte do império da Twenty-First Century Fox Inc, pertencente ao multibilionário australiano Rupert Murdoch, por 52 mil milhões de dólares (por uma quantia a rondar os 45 mil milhões de euros).

Relacionadas

Wall Street em queda apesar do negócio da Disney e 21st Century Fox

Algumas divergências de Republicanos face ao texto final da reforma fiscal deixaram os investidores nervosos. Nem o negócio da Disney salvou Wall Street.

Ganhos da Pharol e retalho invertem sentimento negativo do PSI 20

Índice nacional negoceia a somar 0,15% para 5.363,83 pontos, impulsionado pela Pharol e do setor do retalho.
Recomendadas

Wall Street encerra no ‘vermelho’ contrariando ‘verde’ da Europa

O petróleo está a ser negociado em alta. O brent valoriza 0,74% para os 76,71 dólares e o crude sobe 0,10% para os 71,53 dólares.

PremiumPreço do petróleo caiu 45% desde máximo depois de invasão da Ucrânia

Apesar do embargo e do teto à Rússia, os preços do petróleo bateram mínimos anuais em três dias consecutivos esta semana.

Embargo europeu ao petróleo russo: o que esperar? Veja os gráficos da semana no “Mercados em Ação”

Veja os destaques na rubrica “Gráficos da Semana”, da responsabilidade de Marco Silva, consultor de estratégia e investimento, no programa que contou com a análise de Mário Martins, administrador da ActivTrades Brasil.
Comentários