Reformas vão continuar, promete Passos

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, defendeu que, face a uma “recuperação ainda fraca” da economia portuguesa, é essencial continuar com “uma agenda de reformas estruturais” que aumente o potencial de crescimento económico futuro. “Julgo que estamos todos de acordo em que a recuperação que se sente em Portugal, apesar de estar um pouco acima da […]

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, defendeu que, face a uma “recuperação ainda fraca” da economia portuguesa, é essencial continuar com “uma agenda de reformas estruturais” que aumente o potencial de crescimento económico futuro.

“Julgo que estamos todos de acordo em que a recuperação que se sente em Portugal, apesar de estar um pouco acima da média da zona euro, continua a ser uma recuperação ainda fraca e que, portanto, a importância de continuar com uma agenda de reformas estruturais que aumente o nosso potencial de crescimento no futuro é essencial para nós podermos ser bem-sucedidos no médio e no longo prazo”, declarou o chefe do executivo PSD/CDS-PP aos jornalistas, durante uma visita a uma empresa portuguesa tecnológica, em Algés.

Pedro Passos Coelho fez estas declarações a propósito da primeira missão de monitorização da troika pós-programa de resgate a Portugal – na sequência da qual a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu consideraram ter havido uma diminuição do ritmo das reformas em Portugal.

Segundo o primeiro-ministro, esta missão consistiu numa “troca de informações” que foi “bastante positiva”.

O chefe do executivo PSD/CDS-PP referiu que há “divergências na maneira como se valorizam determinados elementos”, mas acrescentou que existe “acordo” sobre a necessidade de “continuar com uma agenda de reformas estruturais”.

OJE/Lusa

Recomendadas

Crise/Inflação: Casais podem receber 125 euros pelo IBAN do reembolso do IRS

O apoio de 125 euros é individual, mas os casais que entreguem o IRS em conjunto e só tenham o IBAN do reembolso deste imposto confirmado nas Finanças recebem o apoio nessa conta bancária, esclareceu hoje fonte oficial.

PremiumPartidos convergem nos apoios às famílias e crescimento económico

Os partidos com assento parlamentar começam a definir as prioridades para o próximo Orçamento do Estado. Num quadro de incerteza, continuidade e necessidade de calibrar medidas é o elemento central do PS. Oposição reclama respostas ao acelerar da inflação.

Premium“Dá-se quase uma medalha a quem consegue fugir aos impostos”, diz presidente da APIT

O presidente da APIT salienta que Portugal está a braços com a economia informal e que são precisas políticas de cidadania na área.