Refugiados ucranianos. Gabinete do primeiro-ministro desmente autarquia comunista de Setúbal

Autarquia disse que tinha questionado o Governo sobre se mantinha a confiança numa associação pró-russa e pró-Putin, mas o Palácio de São Bento desmente.

O primeiro-ministro, António Costa, durante debate sobre Orçamento do Estado de 2022, na Assembleia da República, em Lisboa, 28 de abril de 2022. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

O gabinete do primeiro-ministro veio hoje a público desmentir a autarquia comunista de Setúbal sobre uma carta enviada a 11 de abril pela câmara para o Palácio de São Bento.

“A carta que o Presidente da Câmara Municipal de Setúbal dirigiu ao Primeiro-Ministro no passado dia 11/04/22 é um protesto sobre declarações prestadas pela Embaixadora da Ucrânia em Lisboa, à CNN, e foi reencaminhada para os efeitos tidos por convenientes para o MNE”, começa por dizer o gabinete de António Costa em comunicado. “Na referida carta não é solicitada qualquer informação sobre a Associação EDINSTVO, nem sobre o cidadão Igor Khashin”.

O Palácio de São Bento reagiu assim ao comunicado da autarquia de Setúbal divulgado hoje em reação à notícia do jornal “Expresso” onde foi denunciado que os refugiados ucranianos estão a ser recebidos por apoiantes russos de Vladimir Putin pelos serviços da câmara da cidade sadina.

O PSD e a IL já anunciaram que vão chamar o autarca de Setúbal (CDU) André Martins ao Parlamento para dar explicações sobre esta caso.

Segundo o “Expresso”, pelo menos 160 refugiados ucranianos já foram recebidos por Igor Khashin, antigo presidente da Casa da Rússia e do Conselho de Coordenação dos Compatriotas Russos, e pela mulher, Yulia Khashin, trabalhadora do município, que entretanto foi afastada destas funções enquanto a situação não for esclarecida.

“O sr. Igor Kashin, citado na notícia do Expresso, colabora, regularmente, há vários anos, com várias entidades da administração central, entre as quais o Instituto de Emprego e Formação Profissional, o Alto Comissariado para as Migrações e o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, tendo prestado esta colaboração já este ano, em instalações de alguns destes serviços em Setúbal, no contexto do acolhimento de refugiados da guerra da Ucrânia. Esteve também a dar apoio, no contexto das relações existentes, desde 2005, entre a CMS e a EDINSTVO, associação de imigrantes de leste, nos serviços municipais responsáveis pelo acolhimento de refugiados”, segundo a autarquia.

“Após tomar conhecimento de afirmações proferidas, há duas semanas, pela Embaixadora da Ucrânia em Portugal relativamente a esta associação, a Câmara Municipal de Setúbal questionou formalmente e no próprio dia, por ofício, o o senhor Primeiro-ministro, pedindo que se pronunciasse sobre a veracidade destas declarações e esclarecesse com a maior brevidade possível se o Alto Comissariado para as Migrações mantinha a confiança nesta associação, não tendo obtido resposta até ao momento”, acrescenta a câmara de Setúbal, tendo agora o gabinete de António Costa desmentido estas afirmações.

Relacionadas

Rio pede esclarecimento no caso de refugiados recebidos por pró russos

A suspeita que existe tem de ser esclarecida, se calhar havia ali alguém ligado ao regime russo a questionar ucranianos

Refugiados recebidos por pró-russos: PCP diz ser importante perceber se “é caso único”

“A primeira pergunta que se coloca é de facto se isto é um caso único ou se existe uma generalidade de associações que são solidárias”, disse Jerónimo de Sousa.

Refugiados ucranianos foram recebidos na autarquia comunista de Setúbal por russos

A notícia em causa foi divulgada pelo “Expresso”, que adianta que os cidadãos admitem ter medo das consequências desse contacto, pois viram os seus documentos pessoais serem copiados, e as mulheres questionadas sobre o paradeiro dos maridos. IL e PSD querem ouvir o autarca no Parlamento.
Recomendadas

Lagarde diz que criptomoedas “não valem nada” e devem ser reguladas

“A minha avaliação é que as criptomoedas não valem nada, são baseadas em nada e não há qualquer ativo subjacente que funcione como âncora de segurança”, avisou a presidente do BCE.

Ministro alemão apela a que países da UE tenham mais disciplina em termos orçamentais

Christian Lindner defende que o prolongamento da suspensão das regras orçamentais não pode servir como motivo para os países do bloco comunitário manterem as políticas mais relaxadas quanto aos gastos públicos.
antónio_costa_silva_partex_5

Costa Silva sobre sustentabilidade: “cada sector pode adaptar-se e cortar emissões”

António Costa Silva escreveu um capítulo para o livro “101 Vozes pela Sustentabilidade”, no qual defende que cada sector de atividade pode cortar as emissões e contribuir para a luta contra as alterações climáticas.
Comentários