Regressa o Pátio da Água da EPAL na Avenida da Liberdade

Depois de dois anos de ausência pandémica, a iniciativa da EPAL está de regresso ao n.º 14 da Avenida da Liberdade. Carolina Patrocínio e Gonçalo Uva são os embaixadores da iniciativa e juntam-se à EPAL na promoção da sustentabilidade ambiental.

Até 9 de setembro a Avenida da Liberdade, em Lisboa, recebe o Pátio da Água, uma iniciativa da EPAL, desenvolvida em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa e Lisboa E-Nova, que sensibiliza para a qualidade e consumo de água da torneira e para a salvaguarda deste recurso escasso e essencial para a vida no Planeta. A entrada é gratuita.

Depois de dois anos de interregno, por força da pandemia de Covid-19, o Pátio da Água está de volta à cidade de Lisboa. O evento de reabertura do espaço realizou-se esta terça-feira ao final da tarde e contou com a presença de Carolina Patrocínio e Gonçalo Uva, embaixadores da iniciativa, e de Catarina Barreiros, influenciadora digital, founder & CEO projeto Do-Zero, reconhecida pela sua dedicação à causa da proteção do ambiente.

Catarina Patrocínio convida todas as pessoas a passar pelo Pátio da Água e a beber água da torneira. “O Pátio da Água é um conceito engraçado e agradável: parar um bocadinho no nosso dia e aqui, na Avenida, entrarmos e experimentarmos um copo de água. Devemos incentivar as pessoas a habituarem-se a consumir água da torneira, incluindo as novas gerações. A água da torneira é muitíssimo boa, eu tenho esse hábito desde miúda. Sempre me foi incutido beber água da torneira, não só em Lisboa, como em todo o país, seja no Algarve ou no Alentejo, faço sempre questão de beber água da torneira. É um hábito que passo também aos meus filhos”, afirma Carolina Patrocínio.

O marido, Gonçalo Uva, sublinha a importância do consumo de água da torneira para a saúde e na prática de exercício físico. “Como atleta que fui, e que ainda sou nas horas vagas, a água faz sempre parte do meu treino, principalmente água da torneira. Acredito, sinceramente, que a água da torneira, que é testada e comprovada, tem propriedades e ajuda a criar anticorpos essenciais para a nossa saúde e em especial das crianças. Sou completamente a favor de beber água da torneira e ter este Pátio da Água é dar a oportunidade a lisboetas e turistas para passar aqui, beber um copo de água e aproveitar a nossa cidade”.

Para Catarina Barreiros, a maneira sustentável de beber água é da torneira, dado que não necessita de transporte e é sujeita a milhares de análises que atestam a sua qualidade e segurança para a saúde. Sobre o Pátio da Água, a influenciadora considera ser “uma oportunidade para as pessoas perceberem que beber água da torneira não é um “bicho de sete cabeças” e que há maneira divertidas e criativas de beber água. Estas iniciativas são ótimas para convidar a população a experimentar e a ver como efetivamente é bom para se conseguir mudar um bocadinho a mentalidade e o preconceito que temos em relação à água da torneira.

O Pátio da Água mantém o propósito inicial da sua criação: a divulgação de uma mensagem de sustentabilidade ambiental, através da promoção e sensibilização para a qualidade e consumo da água da torneira, convidando quem passe pela Avenida da Liberdade a beber um copo de água, simples ou aromatizada com frutas e ervas aromáticas, num local agradável, confortável e de forma completamente gratuita.

À semelhança de anos anteriores, o Pátio da Água apresenta-se 100% sustentável. Todos os resíduos orgânicos gerados (frutas, ervas aromáticas, entre outros) serão diretamente encaminhados para compostagem e todos os outros serão encaminhados para o destino final adequado. A grande novidade deste ano é a parceria com a marca de gelados Santini. Estão previstas happy hours, todas as segundas e sextas-feiras, entre as 13h30 e as 14h30, para oferta de picollinis, feitos, claro, com água da torneira!

O Pátio da Água localiza-se na Avenida da Liberdade número 14 e funciona de segunda a sexta-feira (à exceção dos feriados) das 11h30 às 18h30.

Recomendadas

Premium“O desenho pode ser um ponto de partida para começar uma coleção”

“Os portugueses conhecem os seus artistas, respeitam-nos e valorizam-nos”. Palavra de curadora, que é também diretora da única feira dedicada ao desenho em Portugal. Mónica Álvarez Careaga fala ao JE na identidade muito própria da Drawing Room Lisboa e da sua crescente “portugalidade”, que considera ser o reconhecimento de “várias gerações de excelentes artistas” portugueses.

PremiumSom harmonioso

Desenvolvido em segredo, o Co-Axial Master Chronometer Calibre 1932 é o primeiro movimento de relojoaria do mundo a fundir as funções de cronógrafo e de repetidor de minutos, necessitando do seu próprio “cérebro” mecânico para fazer soar o tempo decorrido.

PremiumSobre a necessidade de reinvenção de um continente no século XXI

Uma reportagem recente de um consórcio nacional de jornalistas trouxe para a luz do dia a existência de um número verdadeiramente assustador de elementos das forças de segurança portuguesas que não honram a farda, semeando o ódio, incentivando à violência e demonstrando um feroz racismo, quer contra cidadãos de etnia cigana, quer contra negros.
Comentários