Rei Juan Carlos regressa a Espanha no próximo fim-de-semana

Prevê-se que depois de passar o fim-de-semana na Galiza, Juan Carlos viaje para Madrid para ser recebido no La Zarzuela nos dias de 21 e 22 de maio. O regresso ocorre depois de estar a viver há dois anos nos Emirados Árabes Unidos.

O Rei Juan Carlos vai passar o próximo fim de semana em Espanha, segundo o “La Vanguardia,” depois de quase dois anos a viver nos Emirados Árabes Unidos.

Prevê-se que depois de passar o fim-de-semana na Galiza, Juan Carlos viaje para Madrid para ser recebido no La Zarzuela nos dias de 21 e 22 de maio, conforme foi avançado pelo Palácio Real. Juan Carlos e o filho tinham concordado que o emérito estabeleceria residência em Abu Dhabi, mas que poderia voltar e visitar a Espanha quantas vezes quisesse, já que nenhuma sentença judicial o impede de fazê-lo.

A 3 de agosto de 2020 o rei emérito espanhol, Juan Carlos I, comunicou ao seu filho Filipe VI a sua “decisão ponderada de sair da Espanha” e deixou de residir no Palácio da Zarzuela, onde vivia há 58 anos. A sua decisão sucedia as investigações iniciadas pelos promotores suíços e espanhóis sobre os supostos fundos de Juan Carlos sediados em paraísos fiscais.

“Majestade, prezado Filipe, com o mesmo desejo de serviço à Espanha que inspirou o meu reinado e diante da repercussão pública que certos eventos passados ​​na minha vida privada estão a gerar, desejo expressar a minha disponibilidade absoluta para ajudar a facilitar o exercício das suas funções de a tranquilidade e a calma que a sua alta responsabilidade exige. Guiado pela convicção de prestar o melhor serviço aos espanhóis, às suas instituições e a si como rei, comunico a minha decisão ponderada de me mudar para fora de Espanha neste momento. Uma decisão que tomo, com profundo sentimento, mas com grande serenidade. Sou rei da Espanha há 40 anos e sempre quis o melhor para a Espanha e para a coroa”, aponta o texto da carta que Juan Carlos enviou a Filipe VI.

Posto o anúncio o seu paradeiro deixou de ser conhecido e a “TVI” chegou a noticiar que Juan Carlos esteve em Cascais por uns dias. A 17 de agosto o paradeiro foi esclarecido quando o Palácio Real divulgou comunicado a explicar que “sua Majestade, o rei dom Juan Carlos indicou à Casa de Sua Majestade que se mudou a 03 de agosto para os Emirados Árabes Unidos, onde permanece desde então”.

De recordar que os problemas de Juan Carlos I remontam ao verão de 2018, quando agentes da Polícia Judiciária Suíça enviados pelo promotor Yves Bertossa começaram a investigar o gestor de fundos Arturo Fasana. A fundação do Zagatka, de Álvaro de Orleans, primo distante do rei emérito, e a Fundação Lucum, cujo primeiro beneficiário era Juan Carlos I e o segundo Filipe VI, foram incluídas nas investigações.

Recomendadas

Síria: Rússia propõe manter por seis meses envio de ajuda humanitária a zona rebelde

A Rússia propôs emendas a um projeto de resolução apresentado pela Irlanda e Noruega e reduziu o período para as entregas. Apelou ainda para o aumento dos esforços que garantam entregas de ajuda humanitária “completas, seguras e sem restrições” ao longo das linhas de conflito na Síria, indicou a agência noticiosa Associated Press (AP).

EUA: Taxas de juros mais restritivas podem ser necessárias para conter a inflação

No entanto, consideraram que tais medidas são necessárias para desacelerar os aumentos de preços com vista à meta anual de 2%.

França vai assumir 100% do controle da empresa de energia EDF

A decisão, anunciada em sessão no Parlamento, acontece num momento em que as tarifas de eletricidade não páram de subir, situação agravada com a guerra na Ucrânia. O Estado retira assim de bolsa a EDF.
Comentários