Reino Unido: Brexit chega ao parlamento na sexta-feira

O novo parlamento entra hoje em atividada e recebe Isabel II na quinta-feira para o tradicional ‘Discurso da Rainha’ – onde os britânicos ficarão a conhecer pormenores de um mega-investimento de 40 mil milhões no setor da saúde.

O calendário não é excessivamente apertado, mas o novo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, não tem tempo a perder: que usufruir do estado de graça depois da vitória com maioria absoluta nas eleições da passada quinta-feira. Hoje é dia de os parlamentares eleitos irem pela primeira vez à Câmara dos Comuns, que na próxima quinta-feira receberá a rainha para o tradicional ‘Discurso da Rainha’ e no dia seguinte o mais provável é que Johnson volte a colocar o acordo do Brexit à votação dos parlamentares.

Segundo os jornais britânicos, a equipa de confiança de Johnson repete uma mensagem diferente para dois destinatários específicos: a todos os eurocéticos que confiaram nas promessas do primeiro-ministro, dizem que o Brexit será uma realidade em 31 de janeiro; aos eleitores trabalhistas que decidiram apostar no candidato conservador, é dito que a prioridade do governo será uma injeção monumental de dinheiro público no Serviço Nacional de Saúde (NHS).

Sem deputados rebeldes com que tenha de se preocupar, Johnson está a trabalhar no discurso que Isabel II fará na quinta-feira e que terá os pontos fundamentais do programa legislativo do governo para os próximos cinco anos. O ponto mais urgente será a aprovação do acordo de saída da UE.

Mas a pressa tem outra causa: Bruxelas não está disponível para negociar uma nova relação política e comercial com o Reino Unido durante o período de transição, que decorrerá até 31 de dezembro de 2020. Ora, os britânicos não querem anta demora: “há áreas em que os interesses da União e os do Reino Unido já estão estreitamente alinhados, e estou confiante de que não apenas poderemos sair em 31 de janeiro, mas que concluiremos todos os detalhes de um novo relacionamento num curto espaço de tempo”, disse Michael Gove, um dos conservadores mais próximos do primeiro-ministro (e possivelmente o homem forte do novo governo), à SKY News.

Segundo a imprensa, outro detalhe do conteúdo do ‘Discurso da Rainha’ é o compromisso de injetar mais de 40 mil milhões de euros em cinco anos no NHS, numa tentativa de o fazer ressuscitar. Johnson está empenhado em lançar um plano ambicioso de investimentos públicos e gastos sociais que consolide a médio e longo prazo o apoio eleitoral que conseguiu junto do eleitorado tradicionalmente trabalhista.

Relacionadas

Primeira-ministra escocesa avisa Johnson: “Não pode manter a Escócia no Reino Unido contra a sua vontade”

A líder do Partido Nacional Escocês, que conquistou 45% dos votos nas eleições e viu subir para 48 os lugares no Parlamento britânico, tem defendido que o resultado eleitoral lhe dá força para avançar com um novo referendo sobre a independência da Escócia. 

Boris Johnson: o Brexit já é passado

Está resolvido, não vale a pena pensar mais nisso. Foi esta a mensagem do primeiro-ministro britânico à porta da residência que vai continuar a ocupar. O problema é a Escócia. E a Europa, com todos os seus estados de alma.
Recomendadas

Conferência do Jornal Económico debate os grandes temas de 2023

O auditório principal do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) recebeu na passada sexta-feira, 16 de setembro, a conferência do sexto aniversário do Jornal Económico.

Primeiro-ministro espanhol testou positivo à Covid-19

Sánchez não disse se estava a sentir-se doente ou se iria cancelar outros compromissos na próxima semana.

Portugal registou 18.315 mil casos e 37 mortes de Covid-19 na última semana

A Direção-Geral da Saúde contabilizou mais 2.049 infeções em comparação à semana anterior.
Comentários