Reino Unido inicia teste de semana de trabalho de quatro dias

O teste é coordenado pelas universidades de Oxford e Cambridge (Reino Unido), assim como especialistas do Boston College (EUA), em parceria com o think tank Autonomy. O objetivo é confirmar se a semana de trabalho reduzida aumenta a produtividade.

Milhares de trabalhadores britânicos iniciam esta segunda-feira, 6 de junho, o teste da semana de quatro dias de trabalho. Participam no ensaio 70 empresas que vão pagar aos seus colaboradores 100% do seu salário, por 80% das horas trabalhadas, avança a “BBC”.

O teste é coordenado pelas universidades de Oxford e Cambridge (Reino Unido), assim como especialistas do Boston College (EUA), em parceria com o think tank Autonomy. O objetivo é confirmar se a semana de trabalho reduzida aumenta a produtividade.

As empresas participantes vão desde tecnológicas a recrutadoras, instituições de caridade e, até, um restaurante local de ‘Fish and chips’ — refeição tradicionalmente britânica.

Sam Smith, co-fundador da Pressure Drop Brewery, produtora de bebidas alcoólicas sediada em Londres, afirma ser “um bom momento” para a empresa tentar diferentes práticas de trabalho.

“A pandemia fez-nos pensar muito sobre o trabalho e como as pessoas organizam as suas vidas”, acrescentou Smith. “Estamos a fazer isto para melhorar a vida da nossa equipa e fazer parte de uma mudança progressiva no mundo que melhorará a saúde mental e o bem-estar das pessoas”.

Semana de quatro dias de trabalho já é realidade na Bélgica

A classe empregada na Bélgica ganhou o direito de trabalhar em tempo inteiro em apenas quatro dias por semana, em vez dos normais cinco dias, sem isso representar uma perda de salário. Uma parte do acordo procura tornar as leis laborais belgas mais flexíveis.

Para os empregadores, é possível ainda recusar pedidos de empregados para trabalhar neste modo mais condensado, mas para a recusa ser oficial é necessário que o empregador explique as razões da recusa por escrito, explica a “Bloomberg”.

Recomendadas

Afinal, que soluções existem para as empresas?

O Banco Português de Fomento lançou no início do ano os dois primeiros programas para apoiar a solvabilidade do tecido empresarial português. A banca está focada em aconselhar e montar as operações.

Presidente da Ryanair antecipa subida de preços nas ‘low-cost’

Michael O’Leary diz que o preço médio por bilhete deverá subir entre 10 a 20 euros nas viagens low-cost, que estão a tornar-se, segundo o mesmo, “demasiado baratas”.

Candidaturas selecionadas para o Consolidar conhecidas em julho

Os programas Recapitalização Estratégica e Consolidar têm gerado grande interesse, diz a presidente da comissão executiva do Banco Português de Fomento, Beatriz Freitas, ao Jornal Económico.
Comentários