Reino Unido retira quarentena a turistas franceses totalmente vacinados

“Apesar de continuarmos a ser cautelosos, as mudanças de hoje reabrem uma série de destinos de férias diferentes em todo o mundo, o que é uma boa notícia tanto para o sector quanto para quem viaja”, sublinhou o ministro dos transportes britânico.

EPA/VICKIE FLORES

O Reino Unido vai descartar a quarentena para turistas totalmente vacinados que venham de França para a Inglaterra e Escócia, invertendo assim uma regra que enfureceu os políticos franceses.

A Inglaterra e a Escócia também flexibilizaram as regras para a Áustria, Alemanha, Eslovénia, Eslováquia, Letónia, Roménia e Noruega, embora tenham aumentado o preço das estadias obrigatórias em hotéis em 60%, para 2.285 libras (2.686 euros) por adulto.

O ministro dos transportes da Grã-Bretanha, Grant Shapps, disse que a flexibilização das regras diminuirá a pressão sobre a indústria de viagens e dará aos turistas a hipótese de se reencontrarem com amigos e familiares.

“Apesar de continuarmos a ser cautelosos, as mudanças de hoje reabrem uma série de destinos de férias diferentes em todo o mundo, o que é uma boa notícia tanto para o sector quanto para quem viaja”, sublinhou Shapps em comunicado.

A decisão do executivo de Boris Johnson surge depois do governo francês demonstrar desagrado perante a medida anterior que obrigava os turistas franceses a ficarem em quarentena, mesmo quando outros países, como é o caso de Portugal, tinham deixado de estar sujeitos a essa restrição.

“É excessivo e, francamente, incompreensível por motivos de saúde. Não é uma medida inspirada na ciência e é discriminatória em relação aos franceses”, referiu o ministro francês da Europa, Clement Beaune, à televisão “LCI” citada pela “Reuters”, a 29 de julho. Beaune ansiava que a medida fosse alterada rapidamente e entretanto Boris Johnson já realizou o desejo dos franceses.

Os franceses ainda não se manifestaram, mas o sector das viagens congratulou-se com esta decisão. “Saudamos a inclusão de mais países de baixo risco na lista verde, mas pedimos que o governo vá mais além, que acabe com a incerteza e permita que as pessoas beneficiem do nosso programa de vacinação que é líder mundial”, disse Sean Doyle, presidente e CEO da British Airways.

O Reino Unido vacinou duas vezes mais a sua população do que a maioria dos outros países, mas criou um conjunto de regras que impediu viagens para muitos países, devastando a indústria aquela indústria.

Recomendadas

Desafios tecnológicos, burocracia, renováveis e perda de água em debate

A transição energética em Portugal e na Europa esteve em debate na conferência do sexto aniversário do Jornal Económico.

Transição energética não pode ser feita sem as pessoas

Empresas do sector energético destacam a importância das pessoas nos seus projetos. A transição não pode ser feita sem o envolvimento das populações locais e sem a conversão de postos de trabalho.

Escassez de carros e inflação dominam mercado da gestão de frotas

Há falta de carros, há falta de peças, há uma inflação galopante no preço das viaturas e há o perigo do abrandamento económico. São fatores negativos para as gestoras de frotas das empresas. Mas as gestoras têm soluções.
Comentários